Sociedade

SUS

Governo Bolsonaro suspende exames de HIV e hepatites no SUS

Segundo nota publicada pelo Ministério da Saúde, os exames foram cancelados, visto que o contrato com a empresa que realizava o serviço venceu. Até agora o governo não confirmou nova empresa para realizar os exames no SUS.

quarta-feira 9 de dezembro de 2020| Edição do dia

Teste de HIV (Ilustrativa)

São inúmeros os ataques do presidente Bolsonaro e todo seu governo ao sistema público de saúde. No mês de outubro tentou privatizar o SUS e recuou somente após enorme repercussão negativa da população nas redes sociais, afirmando, porém, que o decreto pode ainda ser reeditado.

Agora no mês de dezembro, novamente o SUS recebe novo ataque. Em nota publicada pelo Ministério da Saúde no dia 2 de dezembro, declara-se a suspensão da coleta das amostras para os exames de genotipagem de HIV e Hepatite C.

O que aconteceu é que o Ministério da Saúde deixou vencer o contrato da empresa que realizava os exames no SUS e até agora não houve nova licitação para continuidade dos exames. Na nota publicada, somente se afirma que a expectativa de retomada dos exames é para o mês de janeiro.

A posição de Bolsonaro reacionária em relação à Aids e HIV é conhecida, quando em fevereiro deste ano declarou que “uma pessoa com HIV é uma despesa para todos aqui no Brasil”, combinando com seu novo ataque em suspender os exames.

Estes exames são essenciais para definir o tratamento adequado, especialmente para pacientes que desenvolvem resistências a determinados medicamentos. Nesta mesma nota publicada, o Ministério da Saúde declarou, entretanto, que considera que pacientes com hepatite C devem receber os medicamentos mais eficazes, dispensando a genotipagem.

Com este novo acontecimento, Bolsonaro ataca a comunidade LGBT com sua ideologia reacionária, a saúde pública com seu projeto elitista e privatista selvagem e toda a população trabalhadora, negando exames a doenças sérias no SUS em meio a uma pandemia.

Veja mais: Em meio à pandemia, capitalistas podem abandonar 73 países sem remédios para HIV




Tópicos relacionados

Privatização do SUS   /    Saúde Pública   /    Governo Bolsonaro   /    Ministério da Saúde   /    SUS   /    Sociedade

Comentários

Comentar