×

9J contra os cortes na educação | Giovana Pozzi: Precisamos de um comando nacional de delegados eleitos por assembleia de base contra os cortes na educação!

Nós da Faísca Revolucionária defendemos que é central que o dia 09 de junho seja construído pela UNE por assembleias de base em todo o país, que paralise as universidades, e que sejam eleitos delegados por todo o país para definir os rumos da nossa luta, através de um calendário de luta! Veja a declaração de Giovana Pozzi, coordenadora do CADI, centro acadêmico de Teatro da URGS, e militante da Faísca Revolucionária, sobre o tema:

Faísca Revolucionária@faiscarevolucionaria

terça-feira 7 de junho | Edição do dia

"Eu acho que é central que a gente se organize nas ruas contra os ataques da extrema-direita. A PEC 206, que é um projeto do centrão aliado ao MBL, que visava cobrar mensalidade nas universidades públicas, foi arquivado mas não podemos tomar isso como uma vitória, porque ao mesmo tempo o Bolsonaro anunciou um corte de 14% na educação pública, que afeta diretamente as universidades pelo país, inclusive com algumas federais, com é o caso das do Rio de Janeiro, já anunciando que não conseguem se manter com esse corte.

Aqui na UFRGS, o Interventor Bulhões persegue administrativamente e via justiça trabalhadores e estudantes que lutam por condições dignas de estudo. Por isso, o dia 09 de junho, que tá sendo chamado nacionalmente pela UNE como um dia de mobilização, deveria ser muito forte e construído através de assembleias de base em todas as universidades, pra gente seria muito importante também que das assembleias se tirasse paralisação em todas as universidades, como foi tirado na UFMG.

Além disso, não podemos deixar com que seja um dia isolado, por isso defendemos que tenha um comando nacional de delegados, eleitos nas assembleias, para definir os rumos da nossa luta, pra definir um plano efetivo de luta. Porém, estamos vendo desde já que a UNE, que é dirigida pelo PT e pelo PCdoB, não vem construindo esse dia pela base, com força, mas na verdade já coloca desde já que vai ser um dia formal. Por exemplo, na USP está acontecendo as eleições para o DCE, que atualmente é gerido pelo PT e que vai se estender até o dia 09.

Demos uma batalha através da chapa que a Faísca Revolucionária impulsiona, Pela quebra das correntes, que as eleições fossem adiantadas para que pudéssemos estar dia 09 nas ruas, mas não foi acatado pelas demais chapas. Também se expressa a passividade que a UNE impõe aos estudantes na assembleia da UFF, que contou com a presença da presidenta da UNE, muito pequena e mal construída. Imagina a força que teria os estudantes organizados nas ruas esse dia 09, junto aos trabalhadores, lutando contra os cortes mas também parando o Brasil pra exigir justiça por Genivaldo, pelos mortos da chacina do RJ?

Por isso para nós é central termos um plano de lutas, que seja decidido por um comando nacional de delegados eleitos em assembleias de base. Aprovamos a exigência à UNE de construção de assembleias de base na UFRGS e o chamado aos sindicatos do estado a se somarem, é essa aliança, organizada democraticamente desde as bases entre estudantes e trabalhadores a que pode derrotar os ataques. Chamamos todas as organizações e correntes que se colocam como oposição de esquerda a se somarem a essas exigências, construírem desde as bases o dia 9 em cada entidade onde estão presentes, e a romperem com o seguidismo à prática burocrática do PT e UJS nas entidades assim como à política de conciliação e via institucional, sem confiar no Congresso que nos ataca."




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias