Política

ORÇAMENTO SECRETO

General Luiz Eduardo Ramos da Casa Civil foi um dos articuladores do orçamento secreto

O general Luiz Eduardo Ramos, chefe da Casa Civil do governo Bolsonaro, foi um dois articuladores do orçamento secreto que destinou ao centrão R$3 bilhões para conquistar espaço e controle no congresso.

terça-feira 18 de maio| Edição do dia

Foto: Marcos Corrêa / PR / CP

Um novo escândalo marcou a segunda semana de maio, o orçamento secreto do governo de extrema direita de Bolsonaro foi a manobra política de Bolsonaro e seus cumplices de destinar R$3 bilhões dos cofres públicos diretamente para o bolso dos senadores do centrão

Luiz Eduardo Ramos, foi um dos incentivadores dessa proposta, na época era chefe da Secretaria de Governo e atualmente é chefe da Casa Civil. Em plena pandemia onde a CPI do covid nos apresenta as inúmeras irregularidades do governo Bolsonaro, os seus cumplices militares são igualmente favoráveis a política negacionista do Bolsonaro.

Enquanto os trabalhadores seguem entre a exploração do trabalho e incertezas de suas próprias vidas, Bolsonaro e os militares esbanjam dos seus altos escalões os altos privilégios dessa casta política, que segue incapaz de resolver o problema da crise sanitária.

Esse é o governo Bolsonaro que desde da primeira semana do covid no país adota medidas negacionistas de combate ao vírus que atualmente resulta em mais de quatrocentos e vinte mil óbitos, os militares presentes no seu governo também são coniventes com tudo isso, estão na política para garantir os interesses dos capitalistas e seus próprios interesses pretendendo que os trabalhadores paguem pela crise.




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Militares na política   /    orçamento   /    Política

Comentários

Comentar