×

11 dias após o início do duro conflito se enfrentando com a perseguição, repressão e intransigência de Eduardo Paes, garis decidiram encerrar sua greve.

sexta-feira 8 de abril | Edição do dia

No final da tarde desta quinta-feira, 7/4, os garis do Rio de Janeiro encerraram sua greve após 11 dias de embate contra as perseguições, intransigência e ataque ao direito de greve pelo prefeito Eduardo Paes. O término do movimento de greve aconteceu após reunião de conciliação TRT.

O sindicato da categoria informa que o acordo apresentado pela COMLURB perante o judiciário seria o seguinte:

PROPOSTA FINAL
A proposta final da Comlurb, aceita pela categoria, inclui:
- Reajuste salarial de 6% a partir de março;
- Mais 2% nos salários em agosto;
- Novo reajuste residual em novembro, correspondente à diferença do que for dado de reajuste pela Prefeitura aos servidores municipais;
- Reajuste de 6% no tíquete alimentação;
- Adicional de insalubridade de 20% para as APAs;
- Conclusão da implantação do PCCS, retroativo a janeiro;
- Quanto aos dias parados na greve, 5 dias serão compensados e os demais, descontados, um dia a cada mês (3 dias descontados para quem seguiu a orientação do Sindicato e retornou ao trabalho durante as chuvas ou 6 dias para quem permaneceu em greve direto);
- Com este acordo aprovado, o dissídio aberto na Justiça será encerrado por perda de objeto;
- A Comlurb se compromete a não retaliar os grevistas, ressalvados os excessos individuais cometidos durante o movimento.

Acompanhe toda a cobertura do Esquerda Diário sobre a greve dos garis e seus desdobramentos.

Publicaremos nos próximos dias opiniões e reflexões sobre a greve e novas notícias sobre a categoria.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias