Sociedade

Fundação Renova adia mais uma vez entrega de casas aos atingidos por barragem em Mariana

Após 5 anos do crime capitalista de mineradoras em Mariana, a Fundação Renova adia pela terceira vez o processo de reparação às famílias atingidas.

quarta-feira 31 de março| Edição do dia

Foto: Antonio Cruz/ABr

O relatório da Fundação Renova foi enviado hoje a Prefeitura de Mariana, Câmara dos Vereadores, Defensoria Pública, Ministério Público e outras instituições, sobre o descaso no processo de reparação às famílias atingidas pela Barragem de Fundão, em Mariana.

O relatório foi elaborado a partir do debate entre moradores das comunidades atingidas, Comissão de Atingidos pela Barragem de Fundão (CABF) e equipe de Assessoria Técnica, realizada pela Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais.

Dia 27 de fevereiro, pela terceira vez, foi descumprido o prazo para a entrega das casas às famílias atingida pelo crime das mineradoras Samarco, Vale e BHP. Assim, mais de 500 famílias dos subdistritos de Bento Rodrigues, Paracatu de Baixo, Camargos, Ponte do Gama, Paracatu de Cima, Borba, Pedras e Campinas seguem sem moradia desde 2015.

É um absurdo que depois de anos dessa tragédia criminosa, ambiental e humana, que mostra como o capitalismo aponta para sua incapacidade de lidar com os males que ele mesmo criou, não se tenha o devido ressarcimento as famílias atingidas por esse crime. Isso é expressão da ânsia pelo lucro dos empresários, que tem como seus representante governos como o de Bolsonaro e de Zema, que destrói nossa natureza, rouba nossas riquezas, e arranca a vida de tudo que é vivo e cruza o caminho do lucro.




Tópicos relacionados

Romeu Zema   /    Governo Bolsonaro   /    Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    Tragédia Mariana   /    Sociedade

Comentários

Comentar