Sociedade

CORONAVÍRUS

Frente à pandemia, iguais direitos e condições a todos trabalhadores da saúde!

Durante a epidemia do Covid-19, os trabalhadores da saúde - cuja maioria são mulheres - tem desempenhado um papel fundamental para salvar vidas, verdadeiros heróis e heroínas da classe trabalhadora. Faz se necessário a unificação das diferentes categorias de trabalhadores da saúde, defendendo as mesmas condições de segurança e higiene para todos.

sexta-feira 27 de março| Edição do dia

Tratada como uma “gripezinha” pro Bolsonaro, a pandemia de coronavírus já tem mais de 500 mil casos e 20 mil mortos mundo afora, sendo 2554 no Brasil com 60 mortes. O cenário só não é pior devido ao esforço heroico de milhões de trabalhadores da saúde que tem se esforçado mundo afora para salvar vidas e tentar evitar catástrofes maiores durante a pandemia.

Esses trabalhadores se encontram com sistemas de saúde totalmente precarizados devidos a anos de desinvestimento e depredação das políticas neoliberais. Além disso, também enfrentam uma grande divisão dentro da categorias, incentivada pelos governos e patrões.

Exite uma imensa desigualdade salarial entre os distintos profissionais, já que, existe várias áreas que são preenchidas por completo pela terceirização, que são em maiorias negras e negros, mulheres e pobres. Essa divisão está se expressando fortemente nessa crise sanitária. Em muitos hospitais os EPI’s e até mesmo as instruções sobre prevenção contra o coronavírus são selecionados para na maioria das vezes, somente a equipe médica. Em outros, os trabalhadores efetivos também conseguem o acessos a EPI’s e treinamento adequado.

No entanto, se formos olhar as condições dos trabalhadores terceirizados as demandas são maiores. Muitos não tem acesso a mínima segurança no seu local de trabalho, nem direito ao adicional de insalubridade e suas licenças médicas remuneradas são muito limitadas, de forma que muitos vão trabalhar mesmo com sintomas de coronavírus, ja que não há disponível ou em menos quantidades testes que garantam a saúde do trabalhador e paciente.

Essas condições que os trabalhadores da saúde lidam diariamente, submetidos à precarização, enquanto carregam nas costas a tarefa de salvar as vidas no meio da pandemia, como também colocam em risco os pacientes e a população, os tornando potenciais vetores da doença, mostra como que para os capitalistas o lucro vem antes da vida. Os trabalhadores da saúde não podem aceitar essa divisão!
É necessário uma forte unidade dos efetivos e dos terceirizados!

Por isso é necessário levantar um programa que seja:

Pela imediata disponibilização de EPI’s e instruções sobre prevenção ao coronavírus a todos os trabalhadores da saúde! Que se instalem comissões de higiene e saúde para que os trabalhadores controlem as medidas!

Por testes massivos regulares aos trabalhadores da saúde! Licença remunerada e garantia de benefícios a todos os trabalhadores que apresentarem sintomas!

Pela contratação imediata de todos os terceirizados sem necessidade de concurso! Pelo fim da terceirização!

Contratação de trabalhadores e estudantes da saúde nos últimos anos desempregados já! É um absurdo que em um país com 11 milhões de desempregados (número que tende a aumentar nessa crise) os trabalhadores da saúde tenham que ser submetidos à jornadas extenuantes! Os trabalhadores necessitam estar em condições físicas em mentais para fornecer o atendimento adequado! Pela redução da carga horária dos trabalhadores sem a redução do salário.

* * * * * * * * *
CORONAVÍRUS: ENVIE SUA DENÚNCIA
Contato / WhatsApp / Signal / Telegram: +55 11 97750-9596
E-mail: [email protected]

Contribua com o Esquerda Diário!

Siga o Esquerda Diário nas redes sociais!
Youtube: Esquerda Diário
Instagram: @EsquerdaDiarioOficial
Twitter: @EsquerdaDiario
Facebook: Esquerda Diário




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Saúde Pública   /    Sociedade   /    Saúde

Comentários

Comentar