POLÍCIA RACISTA

Filipe Ferreira, youtuber negro sofre abordagem policial racista

O youtuber negro Filipe Ferreira foi abordado por policiais militares de Goiás enquanto gravava um vídeo para seu canal no youtube onde posta seus treinos de bike. Um dos policiais saíram da viatura com a arma apontada para Filipe sem nenhum motivo, mais uma abordagem extremamente racista da polícia.

quarta-feira 2 de junho| Edição do dia

Enquanto treinava, uma viatura policial parou já com um dos policiais com a arma em punho gritando “desce da bike”. Quando perguntou o porquê de estar sendo abordado pelos policiais, afirmando que era um trabalhador e que não havia nenhum motivo para fazer isso com ele, um dos policiais falou “isso era o procedimento dele”. e chegou a ameaçá-lo de morte: “resiste aí para você ver o que vai acontecer contigo”. Um vídeo que era pra ser só mais de seu canal acabou registrando uma abordagem policial, covarde, truculenta e bastante racista. O vídeo acaba após o policial tomar o celular que gravou a abordagem de sua mão.

Veja o vídeo aqui:

Felipe é mais uma vítima da violência policial, como acontece todos os dias contra negros e trabalhadores. Em vídeo em seu canal do youtube “Deixo aqui meu esclarecimento”, Filipe conta o que passou naquela abordagem policial “Eu postei o vídeo pelo abuso que aconteceu...depois da filmagem o policial continuou me oprimindo...coisas piores poderiam acontecer comigo se eu continuasse falando. Eu só questionei o porquê que eles estavam me abordando...se eu não estivesse gravando aquele vídeo seria muito pior”.

Felizmente Filipe não foi uma vítima fatal da polícia, como ele mesmo fala se não estivesse gravado a polícia poderia ter feito coisa ainda pior e depois que a câmera foi desligada a opressão continuou. Isso aconteceu porque Filipe Ferreira é negra e trabalhador. Para polícia e para a burguesia um negro andando de bicicleta gravando um vídeo para seu canal no youtube em que posta "rolês" e manobras, na verdade é um suspeito.

Uma abordagem tão racista e absurda como essa nos faz pensar que não possibilidade nenhum sequer de reformar a polícia. Suas vítimas tem classe e cor. Seja nos EUA onde a fúria negra impôs justiça George Floyd, em recife onde a polícia militar arrancou o olho de dois trabalhadores que passavam pelas manifestações do 29M e no Rio de Janeiro que chacinou 27 pessoas, ela atua da mesma forma, a favor da burguesia e contra os negros e trabalhadores.

Muito se tem ouvido e debatido acerca do tema da "segurança pública", mas o que alimenta o ódio contra a população pobre e negra é justamente a guerra às drogas e os discursos racistas dos militares, Bolsonaro e vários setores do regime. Ao invés de investimentos na area da educação, saúde e cultura, a burguesia junto ao seus governadores prefere oprimir nas favelas.

A conclusão que devemos tirar disso é que não devemos ter nenhum confiança na polícia, porque ela defende os lucros e os patrões, e não nós, jovens e trabalhadores.




Tópicos relacionados

Racismo de Estado   /    Racismo Estrutural   /    Racismo Policial   /    Racismo

Comentários

Comentar