×

Retratos do capitalismo | Família foi resgatada de trabalho escravo em cidade que Bolsonaro esteve em operação militar

No mesmo local onde Bolsonaro esteve em operação militar, na cidade de Formosa, em Goiás, uma família toda foi resgatada em condições de trabalhos análogos a escravidão tendo que dormir em meio a escorpiões, cobras e pó de calcário. Esse é o retrato do que o capitalismo é capaz de fazer para manter sua sede de lucros em detrimento das nossas vidas.

quarta-feira 18 de agosto | Edição do dia

Imagem: AFT

Dias antes após Bolsonaro comparecer a operação da marinha na cidade de formosa, um trabalho dor foi resgatado junto com sua família em condições análogas a escravidão em uma fazenda. Foram anos de trabalho escravo, contaminação por doenças e até mesmo uma picada de escorpião que fez com que o trabalhador ficasse 6 meses sem conseguir se movimentar além de não ter tido acesso ao atendimento médico necessário.

As pessoas viviam em condições desumanas. Foram mais de 8 anos que a família passou tomando água salobra e de poço, usando o mato como banheiro e sem uso de energia elétrica e comendo alimentos cobertos de pó de calcário. Ao a família tem 7 membros contando com os pais, Itamar e Marilene da Rosa. Uma das filhas mais novas de 14 anos sofre com bronquite asmática por conta do pó de calcário que cobrira suas roupas e alimentos. Marilene relata que não conseguia limpar a casa sem um pano na boca e no nariz, e por conta disso ela adquiriu um problema de saúde que implica em um caroço no pescoço.

As crianças eram mandadas pra escola, mas não tinham roupas dignas de estudantes, além de que o calcário e a chuva que caia dentro de sua casa, muitas vezes fazia com que as crianças tivessem que ir para a escola com roupas molhadas.

A família foi vítima de trabalho escravo, por se tratar de não conhecer seus direitos além de que Itamar tinha sido vítima de exploração infantil na infância, segundo o que relata o procurador do trabalho Thiago Cabral.

O dono da fazenda, Muzungo, Morovéu José Caixeta foi indiciado pelo ministério público e ainda não está definido qual será o processo que irá responder.

Quatro dias depois que a família foi resgatada pela defensoria pública e a polícia federa, Bolsonaro foi a formosa acompanhar os barulhentos, fumacentos e velhos blindados de guerra para demonstrar seu poder e alimentar a sua retórica golpista, no que ficou conhecido como operação formosa.

Esse é o retrato de um país que soma muitos casos de trabalho escravo que ainda não foram descobertos, mas que são cada vez mais comuns nas fazendas do interior. Que são exatamente os locais onde dominam os grandes amigos e aliados de Bolsonaro, que no caso são os fazendeiros e os latifundiários, daqueles dos quais o governo prometeu "passar a boiada" para favorece-los.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias