Sociedade

FALTA DE SANEAMENTO BÁSICO

Falta o básico: 5,5 milhões de pessoas não têm acesso à água potável nas grandes cidades

De acordo com o Instituto Trata Brasil, 21,7 milhões de brasileiros não têm acesso à coleta de esgoto e 5,5 milhões à água potável nas 100 maiores cidades do país

segunda-feira 22 de março| Edição do dia

Foto: Natinho Rodrigues

Em meio à pandemia, o direito à água potável, algo tão básico e fundamental, se tornou também uma necessidade para garantir a prevenção do Covid-19. Entretanto, números do Instituto Trata Brasil mostram que mais de 5 milhões de brasileiros, nas 100 maiores cidades do país, não têm acesso à água potável. São 5 milhões de brasileiros praticamente sem acesso à higiene, alimentação adequada e correndo o risco de contraírem doenças totalmente evitáveis como diarreia.

Ainda de acordo com o levantamento, metade do esgoto que é gerado no país não é tratado, com 21,7 milhões de pessoas sem acesso à coleta de esgoto. Um campo aberto para disseminação de doenças e agravamento de epidemias. Diferentemente do absurdo falado por Bolsonaro, de que o brasileiro “pula no esgoto e nada acontece”, o Brasil tem mais de 300 mil internações por ano e uma média de 11 mil mortes anuais causadas pela ausência do direito ao saneamento.

Cenário nas cidades de médio e pequeno porte

Contando todo o país esses números aumentam assustadoramente, segundo indica o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), o número de brasileiros que não possuem o mínimo acesso à água chega a quase 35 milhões. Nos pequenos municípios, cerca de 25% das pessoas não possuem acesso à água tratada.

São números que assustam: nos municípios de médio porte somente 32% da população tem coleta de esgoto, enquanto nas cidades mais numerosas, esse número chega a 73%. Somente metade da população tem acesso à rede de esgoto.




Tópicos relacionados

saneamento básico   /    Pandemia   /    Sociedade   /    Falta d’água

Comentários

Comentar