Gênero e sexualidade

TRIBUNA ABERTA

Ex prefeito de Serrolândia (BA) é acusado de estupro de vulnerável

O ex prefeito Jaime Ferreira Franco (PSD) do município de Serrolândia (BA) e também produtor rural, está sendo acusado de violentar sexualmente duas irmãs de 21 e 23 anos, ambas com distúrbios mentais.

quinta-feira 25 de fevereiro| Edição do dia

Foto: Catraca Livre

Este caso está sendo acompanhado pelo movimento de mulheres Vítimas Unidas. O grupo, criado em 2012 por vítimas de Roger Abdelmassih - ginecologista que foi condenado pelo estupro de 39 pacientes - também foi protagonista da denúncia de João de Deus, acusado de mais de 12 crimes sexuais. Após esses relatos, outras mulheres, entre elas adolescentes, passaram a denunciar outros abusos cometidos pelo ex prefeito de Serrolândia.

Infelizmente casos como esses não estão isolados. No Brasil ocorrem em média 180 estupros por dia, a maioria deles contra mulheres negras, sendo eles 73% dos casos, segundo os dados da folha Uol. Muito além da impunidade garantida, pois muitas vítimas não denunciam pelo constrangimento a que são submetidas nas delegacias de polícia, a ideologia patriarcal segue relegando mulheres a receberem menores salários, a não poderem decidir sobre seus próprios corpos, a sermos produtos para publicidade, legitimando toda uma cadeia de violência contra nossos corpos.

A mãe da vítima que sofreu abusos por Jaime Ferreira Franco gravou um vídeo onde ele se encontra nu, em cima da vítima que esta entretida assistindo no celular, um caso de violência contra incapaz, onde a vítima não tem condições de concordar ou se opor para com o ato. Este vídeo foi mandado para a delegacia e segundo reportagem do Uol, ainda está sendo averiguado.

A maioria dessas situações são silenciadas, principalmente quando os agressores são homens com influências políticas. O partido do ex prefeito Jaime Ferreira, Partido Social Democrata (PSD) é parte da base de Jair Messias Bolsonaro no congresso, essa figura misógina, pivô da cena horrorosa onde declarou que a deputada Maria do Rosário não seria estuprada porque ela “não merecia”. Esta situação absurda, mostra o quanto o patriarcado continua a nos ferir, comandar nossos corpos e direitos, unindo-se com o capitalismo que organizou outras formas de machismos, para que continuemos sendo exploradas pelo Estado.

Pela constituição, as mulheres violentadas sexualmente, têm direito legal ao aborto. Mas ao analisar o caso da criança de 10 anos, no Espírito Santo que foi estuprada pelo tio e engravidou, o governo não queria autorizar o aborto, mesmo sabendo que a garota estava correndo risco de vida. Isto é uma evidência do retrocesso que estamos vivendo, e como ele afeta ainda mais as mulheres.

Queremos justiça por estas vítimas de Jaime Ferreira Franco e tantas outras que foram silenciadas. Sabemos que não podemos depositar nossa confiança no Estado, pois casos como o de Mariana Ferrer, onde o juiz a humilhou, e sentenciou como estupro culposo, que seria quando não há intenção de estuprar, uma situação absurda, observamos que o Estado patriarcal jamais estará do nosso lado. Temos que exigir justiça com nossa mobilização contra o patriarcado e o machismo!

A tribuna aberta não necessariamente coloca os pontos de vista do Esquerda Diário e do MRT




Tópicos relacionados

Nordeste   /    Patriarcado   /    bolsonarismo   /    PSD   /    Machismo   /    Bahia   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar