Política

Ex-assessora de Flavio Bolsonaro confirma esquema de “rachadinha” na ALERJ

Luiza Souza Paes admitiu em depoimento que nunca trabalhou de fato para o deputado e que repassava mais de 90% de seus rendimentos na Assembleia Legislativa do Rio de janeiro (ALERJ) para Queiroz.

quarta-feira 4 de novembro| Edição do dia

Foto: REUTERS/Adriano Machado

A ex-assessora “fantasma” de Flavio Bolsonaro foi a primeira das investigadas a confirmar o esquema de rachadinha de Flavio Bolsonaro a partir de seu gabinete na ALERJ. O depoimento ocorreu em setembro deste ano ao ministério publico do Rio de Janeiro.

De acordo com o depoimento, Luiza esteve vinculada a ALERJ de 2011 a 2017 e foi orientada, no primeiro dia em que se apresentou no gabinete, a mensalmente depositar mais de 90% de seus ganhos como assessora. Os valores incluíam, além do salário, o 13º, férias, e vale- alimentação. De acordo com os extratos bancários apresentados por ela ao MP, ela teria repassado no total a quantia de R$190 mil.

O pai da ex-assessora fantasma seria amigo de Queiroz para quem pediu um estágio para a filha que na época cursava faculdade de estatística aos 19 anos de idade. Luiza também nomeou outros envolvidos no esquema: as duas filhas mais velhas de Fabrício Queiroz, Nathália e Evelyn, e Sheila Vasconcellos, amiga da família do policial. Os dados financeiros obtidos pela investigação apuraram que somente essas três pessoas teriam repassado pra Queiroz o montante de R$878,4 mil.

Pode interessar: MP do RJ denuncia Flávio Bolsonaro por crimes ligados ao escândalo das “rachadinhas”




Tópicos relacionados

rachadinha   /    Ultradireita   /    Fabrício Queiroz   /    Flavio Bolsonaro   /    Extrema-direita   /    Caixa 2   /    Alerj   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar