×

VÍDEO | Estudantes e trabalhadores debatem: Abaixo a intervenção imperialista e o fundamentalismo do Talibã

Em evento virtual realizado nesta quinta-feira mais de 300 estudantes e trabalhadores debateram "O que está acontecendo no Afeganistão? Uma visão marxista" com André Barbieri e Marie Castañeda.

sexta-feira 20 de agosto | Edição do dia

FOTO: Reprodução Instagram

Mais de 300 estudantes e trabalhadores do Brasil todo participaram na noite desta quinta-feira (19/08) do evento virtual impulsionado pelo Esquerda Diário para discutir: "O que acontece no Afeganistão? Uma visão marxista" com apresentação de André Barbieri, editor internacional do Esquerda Diário e apresentador do Podcast Internacional, e Marie Castañeda, apresentadora do programa Giro Internacional.

Sob a ótica marxista para analisar a dinâmica internacional, resgatando os fios de continuidade do marxismo revolucionário, que na nossa época é o trotskismo, e buscando tirar as lições estratégicas dos processos históricos da luta de classes, entendendo a dinâmica por trás dos acontecimentos políticos, o Esquerda Diário promoveu esse debate com o intuito de buscar entender os meandros desse importante conflito no Oriente Médio à luz do marxismo.

Pode te interessar: O que está acontecendo no Afeganistão?

Originalmente armados e financiados pelos EUA para se oporem à então República Democrática Afegã, alinhada ao bloco soviético, e fortalecidos durante a guerra civil e invasão soviética, durante à qual receberam, junto com a Al-Qaeda, apoio norte-americano, o grupo fundamentalista Talibã posteriormente se voltaria contra seus aliados de então no ocidente. Os atentados de 11 de setembro de 2001 seriam centrais para os EUA lançarem sua ofensiva militar contra os afegãos, buscando reestabelecer seu controle político e fortalecer sua hegemonia. Após mais de duas décadas de invasão, essa política mostrou seu fracasso, abandonando o país nas mãos do grupo reacionário. A situação afegã já coloca desafios imensos ao movimento operário e à classe trabalhadora em nível mundial, mas especialmente nos países imperialistas, onde os discursos reacionários poderão ter um fortalecimento. Agora é mais do que nunca o momento de nos opormos ao imperialismo e às intervenções militares.

Veja também: Os horrores do Talibã tem um novo apoio: a burocracia do Partido Comunista Chinês

A solidariedade total para com os refugiados e todas as vítimas das bombas imperialistas e do Talibã será fundamental, a começar pela abertura das fronteiras e pelo acolhimento digno de todos aqueles que desejam refugiar-se em solo europeu. No Afeganistão, bem como em tantos países e regiões vitimadas pelas infindáveis intervenções imperialistas e nos quais a classe trabalhadora é oprimida e massacrada por movimentos reacionários, se faz mais importante do que nunca a auto-organização da classe trabalhadora para lutar por um programa revolucionário, que se oponha à pilhagem imperialista e, ao mesmo tempo, que aponte para a emancipação das e dos trabalhadores e a construção de um governo operário que resolva os problemas estruturais do país e da região.

Leia mais: A derrocada no Afeganistão e a primeira grande crise de Biden

Assista às falas de abertura do debate em nosso canal no YouTube!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias