×

#apagaodosapps | Estudantes da UnB aprovam apoio à greve dos entregadores em Assembleia Geral

Ontem (11), foi aprovado por consenso a proposta da Juventude Faísca Revolucionária de apoio dos estudantes da UnB à greve dos entregadores de aplicativo que ocorrerá no próximo dia 25. A luta dos entregadores é um exemplo do que precisamos fazer: tomar as ruas com os métodos dos trabalhadores. É preciso unir estudantes e trabalhadores em luta para combater as ações golpistas do bolsonarismo e as reformas impostas por Temer e Bolsonaro!

Rosa Linh Estudante de Relações Internacionais na UnB

quarta-feira 11 de janeiro de 2023 | Edição do dia

Precisamos confiar unicamente na unidade entre estudantes, trabalhadores e oprimidos para combater o golpismo bolsonarista. “Sem anistia”, palavra de ordem muito utilizada nos últimos atos, precisa significar passar a limpo todos o legado de ataques contra a classe trabalhadora, como por exemplo a revogação integral da reforma trabalhista que deixa os entregadores sem nenhum direito, ao contrário do que quer o governo Lula-Alckmin como já declarou o atual ministro do trabalho. Também enfrentar todos os privilégios das cúpulas militares que sempre tiveram anistia no país desde a didatura militar e são atores em todos os episódios golpistas da história do país. O que fortalece a extrema-direita e esse regime militarizado é a conciliação de classes, e o que pode combater essa corja é a luta de classes!

Por isso, é fundamental a mobilização dos estudantes e todo apoio às lutas da classe trabalhadora. Que a UNE organize ativamente a solidariedade com a greve dos entregadores, e a partir disso construa um plano de lutas por cada local de estudo ao lado dos trabalhadores para revogar todas as reformas reacionárias. É essa força que pode fazer frente ao bolsonarismo, de maneira independente do judiciário, que hoje se coloca como patrono da democracia promovendo uma autoritária intervenção federal, e que pode inclusive se virar contra a greve dos entregadores e qualquer outra luta popular e reivindicativa, mas foi um dos principais atores do golpe de 2016 e que avalizou o conjunto das reformas que escraviza a juventude negra e trabalhadora das periferias.

Veja a intervenção completa na assembleia da UnB de ontem de Luíza, militante da Faísca Revolucionária na UnB:




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias