Internacional

ELEIÇÕES ESTADOS UNIDOS

Estados Unidos: apuração segue nos Estados-chave

É esperada uma longa noite eleitoral. A quantidade de votos enviados antecipadamente por correio (mais de 100 milhões) atrasará a contagem, e o vencedor provavelmente só será conhecido na quarta-feira ou até mesmo depois de alguns dias.

quarta-feira 4 de novembro| Edição do dia

Às 18 horas nos Estados Unidos (20h no Brasil), as votações foram encerradas nos dois primeiros estados: Indiana e Kentucky, que elegem 19 delegados. Os Estados Unidos e o mundo se preparam para uma longa noite eleitoral, que pode durar até amanhã ou mesmo vários dias, até que se saiba quem será o próximo presidente.

Isto se deve a dois fatores principais. Em primeiro lugar, a pandemia e as diversas ameaças de Trump sobre uma possível vigilância das urnas no dia das eleições fez uma grande quantidade de pessoas optar por emitir seu voto por correio ou de forma antecipada. Mais de 100 milhões de pessoas já haviam emitido seu voto antecipadamente no começo desta terça-feira, mas o serviço dos correios pode demorar até dez dias para entregar todos os envelopes, portanto, nos estados em que a intenção de voto é muito próxima entre ambos candidatos, o resultado não será conhecido até a contagem definitiva. Em segundo lugar, tratando-se de um sistema eleitoral indireto, há ainda mais incerteza em torno da situação atual. No sistema eleitoral dos Estados Unidos, o vencedor não é determinado pelo número de votos populares, mas pelo número de delegados que reúne para o Colégio Eleitoral, e a maioria dos estados outorga a totalidade de seus delegados para o candidato vencedor, independentemente se ganhou por um voto de diferença.

Muitos dos estados com votação recorde e, portanto, possíveis definidores da eleição (os chamados “campos de batalha”), podem começar a contagem de votos por correio nas primeiras hora desta quarta-feira. Ainda que algumas empresas e meios de comunicação tenham começado desde cedo a divulgar resultados de boca de urna, tudo indica que a noite será longa.

A noite eleitoral se iniciou às 18h do horário local (20h no horário de Brasília), com o fechamento dos colégios eleitorais nos primeiros estados, na costa Leste. O último estado a fechar as urnas será o Alaska, à meia noite (horário local).

As urnas começaram a serem fechadas às 18h do horário local em algumas regiões de Kentucky e Indiana, e os primeiros resultados começam a sair pouco depois. Estes dois estados não terão surpresas, com uma vitória certa de Trump.

Logo depois, se seguirão alguns dos estados que podem começar a definir a eleição ou confirmar que os dados finais demorarão muito a chegar.

Na Flórida, as urnas começam a serem fechadas às 19h do horário local. Os funcionários da Flórida já apuraram a maior votação antecipada da história do estado, quase igualmente dividida entre republicanos e democratas. Neste caso, é preciso se atentar aos primeiros resultados a partir das 20h (22h no Brasil).

A não ser por uma margem muito estreita, é possível que na Flórida se saiba o vencedor antes da meia noite, resolvendo uma das incógnitas neste estado-chave. Pesquisas prévias apontavam uma diferença de apenas um ponto percentual, dentro da margem de erro.

As urnas na Geórgia também fecham às 19h e os resultados finais também serão conhecidos em poucas horas.

Na Carolina do Norte, as urnas fecham às 19h30. A maior parte dos votos antecipados já foram contados, portanto, é possível que se saiba o resultado ainda nesta terça-feira, a menos que a diferença entre os candidatos seja muito pequena.

Se Biden vence na Flórida, Geórgia e Carolina do Norte, as chances de reeleição de Trump serão muito baixas. Mas se Biden não vence em nenhum destes três estados (ou no Texas, onde a maioria das votações estatais se encerra às 20h), aumenta a importância da Pensilvânia, Michigan e Wisconsin. Nestes últimos três estados, Trump venceu em 2016 e Biden era apontado como favorito nas últimas pesquisas.

Se Trump vence na Flórida, Geórgia e Carolina do Norte, apenas necessitaria obter a vitória na Pensilvânia, Michigan ou Wisconsin para ganhar a reeleição, supondo que ganhe também nos estados em que venceu em 2016. Isto é apenas uma hipótese e, além disso, a Pensilvânia, cujas urnas fecham às 20h, é um dos estados que iniciará a contagem de votos antecipados na quarta-feira.

Considerando que a maioria dos votos antecipados foi de eleitores registrados como democratas, espera-se que a contagem rápida de votos nesta terça favoreça Trump; por isso, em estados como a Pensilvânia o resultado desta noite não é definitivo, salvo margens de diferença considerável.

As urnas em Wisconsin fecham às 21h, mas os secretários municipais deste estado começaram a contagem com várias horas de atraso. Um resultado compatível pode significar mais um dia sem que se declare um vencedor. Em Milwaukee, a maior cidade do estado, os funcionários declararam que não divulgariam os resultados de nenhuma votação antecipada até a contagem de todas as cédulas, processo que não deve se encerrar antes das 4h da quarta-feira.

O encerramento final da votação em Michigan também é as 21h, apesar da maioria das urnas do estado ser fechada às 20h. A votação antecipada também foi intensa aqui, e a contagem destes votos se iniciou apenas na segunda-feira. Este é outro estado que pode tardar em divulgar seus resultados finais.

Entre outros estados do Oeste, é importante acompanhar Nevada, que Trump arrebatou dos democratas, e Arizona, onde Biden vem liderando.




Tópicos relacionados

Eleições EUA 2020   /    Eleições Estados Unidos 2020   /    Joe Biden   /    Donald Trump   /    Estados Unidos   /    Internacional

Comentários

Comentar