×

Barões do transporte | Entrou em vigor o corte de Melo nas isenções do transporte público de Porto Alegre

Desde o dia 1º passou a valer a limitação do meio-passe estudantil e a suspensão das isenções tarifárias de grupos como professores, carteiros e pessoas entre 60 e 64 anos - mais um ataque de Sebastião Melo (MDB) em defesa dos lucros dos barões do transporte.

quinta-feira 3 de março | Edição do dia

Passou a valer a partir da terça-feira (1/03) a limitação do meio-passe estudantil e a suspensão das isenções tarifárias de grupos como professores, carteiros e pessoas entre 60 e 64 anos no transporte público de Porto Alegre, capital gaúcha.

Porto Alegre | PCdoB e UMESPA chamam de “vitória” o brutal ataque de Melo contra o meio passe estudantil

Após autorizar a extinção dos postos de trabalho dos cobradores, o asqueroso prefeito Sebastião Melo (MDB), junto da corja de direita na Câmara Municipal e com a conivência do PCdoB e da UMESPA (que o caracterizaram como uma “vitória”), aplicam um duro ataque que será sentido principalmente pelos trabalhadores e pela população pobre.

Além disso, em pleno retorno presencial das aulas nas escolas, a medida irá prejudicar as comunidades escolares de conjunto e aumentar ainda mais a evasão escolar, que decolou nos últimos anos de ensino remoto e com a juventude tendo de começar a trabalhar mais cedo e de maneira ainda mais precária, devido à crise capitalista que lança suas famílias na miséria.

Permanência estudantil | Como fica o retorno presencial na UFRGS sem meio passe estudantil restringido por Melo?

O projeto reduziu de 14 para 6 o número de grupos que recebem isenções no transporte. Em alguns casos, como o de estudantes que têm meio-passe, há uma limitação pelo critério de renda para quem pode receber o benefício.

Todos esses ataques servem para garantir mais lucros aos barões do transporte de Porto Alegre, que seguem nadando em rios de dinheiro enquanto atacam os empregos e condições de trabalho dos rodoviários, e a população sofre com um transporte público cada vez mais caro, precário e que ainda mantém absurdas reduções de horários e linhas aplicadas no início da pandemia de coronavírus.

Para que o transporte público esteja a serviço da população, é preciso enfrentar a sede de lucro dos empresários do transporte e lutar pela abertura dos livros de contas do transporte público, para que a população saiba de fato quanto lucram e onde estão os gastos. Uma demanda que se liga a defesa de um transporte gratuito e 100% Carris em Porto Alegre, estatizando sem indenização as empresas da ATP, sob controle dos trabalhadores rodoviários e da população, que são os únicos que conhecem as necessidades do transporte e que podem gerir racionalmente o sistema.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias