×

Entrevista com uma palestina sob cerco de Israel em Gaza: "dessa vez é diferente"

Na manhã de domingo (16/05), o Left Voice, portal irmão do Esquerda Diário nos Estados Unidos, entrevistou Nour, uma jovem estudante de medicina que vive em Gaza, sobre a mais recente guerra e como é a vida dos palestinos que vivem sob os bombardeios de Israel.

quarta-feira 19 de maio | Edição do dia

Foto: Khalil Hamra

Pode nos contar sobre você? Aonde em Gaza você mora e o que faz? Como está sendo desde que os ataques com mísseis começaram?

Basicamente o que está acontecendo não é nenhuma novidade. É o que estamos vivendo desde 1948. Especificamente na Faixa de Gaza, nós vivemos sob ocupação desde 1967. Existem F-16 (Caça a jato utilizado pelas forças armadas de Israel) nos rondando, eles podem nos atacar a qualquer segundo, de qualquer forma, eu acho que muitas pessoas não estão vendo o que está acontecendo aqui e não sabem muito sobre o que realmente se passa na Faixa de Gaza. São literalmente cerca de 365 quilômetros quadrados onde mais de 2 milhões de pessoas vivem. É uma das áreas com maior densidade populacional do mundo todo. Nós não temos exército, um monte de pessoas não entende isso, nós queremos que entendam. É uma população desarmada contra um Estado que tem um dos maiores poderios militares do mundo. As pessoas precisam entender isso e parar de comparar Palestina e Israel como se tratasse de uma guerra ou um conflito entre dois lados iguais.

Nós nos sentimos muito inseguros. Durante a noite, estamos todos prontos para morrer. Todos nós. E seguimos ouvindo os bombardeios por todos os lados em todos os pontos da Faixa de Gaza. Simplesmente não sabemos onde foi atingido, sabemos que não foi aqui porque ainda estamos vivos, mas não sabemos se pode ter morrido um ente querido. Na noite passada(15/05) ocorreu um massacre na Faixa de Gaza, eles bombardearam cinco casas com pessoas dentro sem avisar nada. Até agora (16/05), foram achados 33 corpos, sendo que ainda não sabemos quantas pessoas perdemos ao todo porque ainda estamos procurando por mais pessoas nos destroços, mesmo sem ter o equipamento necessário disponível. As pessoas estão usando literalmente as próprias mãos.

Todos os vizinhos, assim que os bombardeios cessam, saem de suas casas junto aos paramédicos, obviamente arriscando suas vidas, usando as próprias mãos para tirar pedra por pedra tentando encontrar alguém em meio aos escombros. O Governo do Egito tentou um cessar fogo há poucas horas atrás para que pudéssemos simplesmente resgatar todos os corpos porque o massacre foi brutal, Israel obviamente recusou. Ainda assim, a população segue buscando por pessoas nos destroços, arriscando suas vidas sem nenhuma segurança. Eu passei por três guerras: 2008, 2012, 2014. Mas dessa vez está ainda mais assustados; eles só pioram.

Neste momento na Cidade de Gaza, eles estão bombardeando o centro da cidade. Sabe, são literalmente as ruas mais importantes, o centro econômico mais importante com as fábricas, os escritórios e prédios residenciais. Ao mesmo tempo que nos bombardeiam hoje, estão fazendo de tudo para que a vida dos sobreviventes fique pior quando, se, isso tudo acabar.

Pode nos contar sobre os ataques aéreos de hoje e o que está acontecendo nas ruas? Como as pessoas do seu bairro estão respondendo?

Bom, no momento nós estamos trancados em nossas casas. Nós não podemos sair, e isso não significa que em casa estejamos seguros. Obviamente não existem abrigos onde possamos estar seguros, então apenas ficamos em nossas casas, acreditando que é o lugar mais seguro que se há para estar. Vira uma cidade fantasma. Está um som bem alto aqui, então significa que pode haver um bombardeio em algum lugar perto, na verdade, pode ser na minha casa a qualquer segundo.

Estou checando as notícias no meu celular a todo segundo procurando por quantas pessoas morreram, os nomes dos habitantes da cidade de Gaza que perderam suas vidas. Estamos orando por nossos entes queridos porque ainda há algumas pessoas desaparecidas, não se sabe o que aconteceu com elas. Obviamente também existe um monte de feridos que podem perder suas vidas porque Israel não vai permitir um cessar fogo para que essas pessoas possam ser socorridas rapidamente, eles sequer estão fazendo isso.

Um monte de pessoas está perdendo suas vidas, seguimos esperando pelos nomes, estamos assustados. Meu primo estava em risco mas sobreviveu - eles se machucaram mas ainda estão vivos - meu primo de primeiro grau e sua família. Todo o perímetro ao redor da sua casa foi bombardeado. O hospital Chiffon, literalmente o maior hospital na Faixa de Gaza está bloqueado, então as ambulâncias não chegam até lá. Isso mostra o quanto o que está acontecendo é um genocídio. Sinceramente, eu não sei de que outra coisa poderia chamar. O mesmo acontece no hospital Indonésio (no Norte de Gaza).

Então, na minha cidade, nós não temos nem um hospital de verdade. Temos alguns lugares que lembram o que chamamos de hospital e Israel também está bombardeando, impedindo que as ambulâncias cheguem. Eu não sei que palavras usar para explicar isso - eles deliberadamente querem matar pessoas sem dar a chance de se salvarem, sem mencionar que nós não temos equipamentos, bons médicos e a uma boa quantidade de recursos em nossos hospitais de qualquer jeito. Eu ouço ambulâncias então provavelmente têm pessoas feridas e mortas (no centro da cidade), então não sabemos quem pode ter morrido.

A mesma coisa aconteceu com um outro primo, eu não sabia o que tinha acontecido depois de ouvir as ambulâncias, estávamos esperando notícias. Não tivemos o privilégio de dar a ele o funeral que ele merecia porque não conseguimos sair de casa. Obviamente nós não poderíamos no despedir a altura porque o que restou dele eram pedacinhos.

(Um alerta muito alto toca)

Desculpa. Isso significa que eles estão prestes a bombardear algum lugar bem perto daqui. Desculpa. Eu consigo ouvir as ambulâncias, eles vão bombardear um shopping que temos para lazer e comida. Dessa vez avisaram com um drone, às vezes eles não “se lembram” sequer de avisar. Sempre se justificam pelos avisos que os drone dão, mas funciona assim todas as vezes, na verdade, na maioria das vezes eles não fazem isso. Talvez vamos escutar o barulho do bombardeio no Shopping, ele é bem perto, a cinco minutos caminhando da minha casa.

De acordo com a sua perspectiva política, por que Israel está fazendo tudo isso nesse momento específico? O que eles têm a ganhar com isso?

Bom, eu sei o porquê. Nós todos acreditamos que é muito claro o que está acontecendo, o presidente de Israel Netanyahu teve perdas políticas nas 4 eleições ao longo dos 2 ultimos anos, então ele sabe que está prestes a ser chutado do seu cargo. Então, ele quer mais assentamentos, foi por isso que ele começou tudo, para dar mais terras aos israelenses para que eles esqueçam sua insatisfação. Fazem isso sem se preocupar com as famílias que vão ser desalojadas e com o que vai acontecer com elas, se preocupando apenas em ganhar alguns votos.

Qual está sendo a resposta a tudo que está acontecendo na sua comunidade e no resto dos territórios ocupados? As pessoas estão indo para as ruas, protestando e se organizando em Gaza?

Bom, não. Nós não podemos sair de nossas casas para protestar. Tentamos ficar em nossas casas e ainda assim não estamos seguros, então não, não podemos protestar contra eles. Os Palestinos que tentaram protestar em Jerusalém foram reprimidos pela polícia, não nos dão chance de lutar contra a brutalidade policial e todo o resto porque nos cercam com ataques aéreos e terrestres. Sem protestos na rua, o máximo que podemos fazer é lutar através das redes sociais, e na verdade, estou muito orgulhosa porque pela primeira vez conseguimos viralizar o que está acontecendo aqui, assim pessoas do Ocidente também podem ver.

É a primeira vez que isso acontece, nas últimas guerras isso não aconteceu, nós éramos mortos em silêncio… mas dessa vez é diferente. Obviamente ainda não é suficiente, mas é diferente. Então sim, o máximo que consegui fazer foi protestar nas redes sociais e mostrar os crimes de Israel, usando hashtags que o Facebook apagava, mas postávamos novamente. Eles tentam esconder nossos stories do Instagram falando sobre a ocupação de Israel e seus crimes, ainda existe muita censura.

Eu uso vídeos que gravo eu mesma para que pessoas nos EUA e no mundo saibam o que está acontecendo, sejam conhecidos ou qualquer pessoa nas redes sociais. E nesse meio, sei que algumas pessoas não tem más intenções, mas muitos estão escolhendo acreditar no que querem, fechando um de seus olhos para o que está acontecendo. Por isso eu estava tentando postar algumas coisas que abrissem este olho e essas pessoas não pudessem mais ignorar o que está passando. Inclusive, podem pesquisar sobre, não estou pedindo para acreditarem em mim sem evidências, estou pedindo que façam as suas pesquisas e entendam o que está em andamento.

Está claro que o recado se espalhou pelo mundo todo. Eu imagino que você tenha visto que ocorreram enormes protestos no dia da Nakba(que representa o início do ilegítimo Estado de Israel e também o início da expulsão dos palestinos de sua terra) ao redor do mundo. Não somente os palestinos, mas pessoas de todos os países e etnias em solidariedade a Palestina. Pode nos contar o que você acha do apoio internacional e como as pessoas estão respondendo a isso em Gaza?

Antes de começar a comentar, só quero dizer a vocês que com o bombardeio, talvez eu perca a conexão wifi. Estou avisando porque já aconteceu antes.

Então, sim, nós sentimos a solidariedade pela primeira vez, como eu disse, dessa vez é realmente diferente. É como se nossos espíritos estivessem mais fortes dessa vez. Nas últimas três guerras, nós nos sentíamos muito vitimizados, mas ao mesmo tempo, sabíamos o que todos estavam pensando e falando de nós. Isso sempre foi muito duro e tornou as coisas mais difíceis para nós, dessa vez estamos nos sentido apoiados.

Consigo ver todos os meus amigos e conhecidos, que eu sigo, repostando os protestos. Estou falando para as pessoas que dei entrevistas e elas estão muito orgulhosas, estão felizes porque isso nos deu um grande sentimento de apoio.

Acho que grande parte dessa história, que também não está sendo relatada, é o papel dos Estados Unidos e sua interferência na região, e a relação entre a história do Imperialismo dos EUA e o estabelecimento do estado de apartheid sionista, mesmo sob o Governo Biden. O que você acha disso? Qual é sua mensagem para todas as pessoas dos Estados Unidos e dos outros países imperialistas que estão tomando as ruas e denunciando a ajuda econômica e militar para Israel?

Nós condenamos o que o governo dos Estados Unidos vem fazendo ao fornecer ajuda para só um lado. O que mais dói, é que o dinheiro que Israel está usando vem dos impostos do povo estadunidense. Nós agradecemos as pessoas que foram para as ruas protestar em solidariedade com a Palestina, mas precisamos fazer mais. Não pode parar aí. Todas as pessoas dos países imperialistas precisam pressionar seus governos para parar a cumplicidade com o que está acontecendo, estamos falando de vidas humanas que estão em risco. Então, sim, nós apreciamos a solidariedade, mas acreditamos que precisam fazer ainda mais, não pode acabar num dia simbólico que assim não haverá mudança, são necessárias ações contundentes.

Baseado em suas próprias análises e suas experiências pessoais, até onde você acha que isso vai? O que vai acontecer nas próximas semanas com as pessoas que vivem em Gaza e com o conflito em geral?

Eu não sei, nós realmente não temos ideia. Existem um monte de rumores circulando, obviamente Israel está optando por não parar, porque o Egito, o Qatar e os EUA tentaram um cessar fogo que foi recusado. Nas nossas mídias, estão falando sobre uma reunião de Gabinete que pode levar à escalada de uma invasão terrestre, talvez até levando isso a um nível mais intenso, ou um cessar fogo, embora não parece provável. Nós não sabemos mas obviamente depende de Israel.

O que o Hamas vem pedindo desde o início, é literalmente que deixem as pessoas de Jerusalém Oriental em paz. Estes são os direitos legais dos Palestinos. A ONU e os Estados Unidos deviam concordar com isso e deixá-los em paz. É só isso que eles estão pedindo, e mesmo assim, estão dizendo não para isso.

Portanto, não temos certeza quando isso vai acabar. Também não está claro o que está se passando na Cisjordânia. Pela primeira vez desde a última intifada, nós, o povo inteiro, estamos protestando juntos enquanto estão atirando e nos matando. Já são 20 pessoas na Cisjordânia que foram mortas.

Sabemos que Israel está assustado pela sua própria mídia porque finalmente entenderam que seus crimes estão sendo expostos. Celebridades estão compartilhando o que está acontecendo, então, pela primeira vez eles estão com medo. Sabemos que o que vem acontecendo é diferente no sentido da visibilidade, mas o que vai acontecer depois depende do quanto as pessoas no exterior e nos países imperialistas vão continuar pressionando seus governos. Então, e só então, uma mudança vai ser conquistada. Caso contrário, se depender só dos Palestinos, que no momento precisam se preocupar até em se alimentar, eu não acho que vai haver uma real mudança. Só vão fazer a vida mais miserável para todos os sobreviventes depois dessa guerra, porque eles literalmente bombardearam todos os lugares que sustentavam a economia de Gaza.

Eles só querem nos manter dependentes de Israel. Obviamente usamos produtos israelenses na faixa de Gaza porque temos que usar, porque ela está bloqueada, e toda vez que construímos fábricas para termos nossos próprios produtos, eles bombardeiam essas fábricas. Eles bombardearam nossos aeroportos tantas vezes que simplesmente não temos a chance de termos nossa própria economia. Eles querem que continuemos dependendo e nos submetendo a eles. E também a nível político, a última guerra que tivemos foi em 2014. Então, vamos ver o que eles têm; é tudo um jogo político. E, ao mesmo tempo, seu povo tem abrigos antiaéreos. Nós não, e eles estão usando novas armas e estão usando novas forças aéreas. É tudo um jogo político sujo de Israel.

O que liberdade significa para você? No meio de responder tantas perguntas, há alguma coisa que não mencionamos que você gostaria de acrescentar?

Então liberdade basicamente é ser tratado como ser humano com dignidade, ter direitos humanos que todos no mundo merecem, sermos tratados de forma igual, vivermos seguros em nosso país, não sermos bloqueados de passar, obviamente isso não é liberdade. Você sabe, poder ir até Jerusalém, poder ver as pessoas na Cisjordânia, a remoção completa dos bloqueios e a remoção completa do apartheid, literalmente apenas ter nossa identidade protegida. Então queremos apenas estar seguros no nosso país, a Palestina, não importa o que, sob qual governo, mas sabendo que podemos entrar e sair de nosso país sempre que quisermos, sendo capazes de pelo menos ter nossa economia independente e apenas, eu não sei... apenas viver com dignidade, só isso. Não estamos pedindo muito.

Como eu disse antes, deixo apenas uma mensagem para as pessoas continuarem fazendo mais, isso não pode parar no protesto. Apreciamos o apoio e a solidariedade, mas precisamos de mais para mudar a realidade em que vivemos.
E depois para as pessoas que continuam sendo cúmplices do que está acontecendo, dizendo que deveriam orar pelos dois lados e tudo mais, eu apenas espero que pesquisem e reflitam mais. O que eles estão dizendo é simplesmente inacreditável e não faz sentido. Não sei se eles estão cientes ou não, mas pedir pelo fim do conflito equiparando os dois lados apenas apoia a justificativa da legítima defesa, desculpa utilizada por Israel que só permite a morte de mais pessoas. Então, eu apenas peço que sejam pessoas melhores por si próprias e pelo bem da humanidade.

Eu apenas faço uma pergunta simples: eles já viram um uniforme do exército palestino ou um helicóptero ou F-16, ou um tanque? Nós não temos nada disso. Esta é literalmente uma situação em que você tem uma das maiores forças militares do mundo contra uma população desarmada.

Obrigado Nour. Acho que é um ótimo jeito de terminar, nós concordamos com você: o resto do mundo definitivamente tem que fazer muito melhor ao lutar pela Palestina.

Obrigada pelo tempo de vocês, isso foi super encorajador, desculpe as interrupções e o tempo que fiquei checando o celular. Mas estou satisfeita e agradecida que minha casa não foi bombardeada, porque se fosse, muitas pessoas perderiam suas vidas e esse é o meu bairro. Essa é a minha rua.

Então você acha que eles definitivamente vão acertar aquele alvo perto de você? É isso mesmo?

Sim, na verdade, eles falaram que tivemos sorte dessa vez, mas que estamos prestes a ser bombardeados. Não podemos fazer nada. Não podemos ir a lugar nenhum. O melhor que podemos fazer é estar longe das janelas e das portas, esperando no meio dos cômodos, é tudo que podemos fazer. Então, não, não são dois lados iguais, não são dois lados agindo da mesma forma, não mesmo.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias