Sociedade

VACINA

Entre quarta e quinta-feira dobrou o número de capitais sem a primeira dose da vacina

A vacinação em marcha lentíssima promovida no Brasil de Bolsonaro tem sido constantemente interrompida por falta de imunizantes. Na quarta-feira eram Rio Branco, Salvador e João Pessoa sem a primeira dose da vacina, nessa quinta-feira (15) Maceió, Goiânia e Florianópolis se somam a essa lista.

sexta-feira 16 de abril| Edição do dia

Foto: Tony Winston/MS

Em João Pessoa e Rio Branco já é o terceiro dia sem vacinação. O Ministério da Saúde afirma, em nota, que está enviando nessa sexta-feira (16) 6,3 milhões de doses para estados e municípios. Em Salvador (BA) a quinta-feira foi o quarto dia seguido sem a primeira dose da vacina, a prefeitura alega que as vacinas prometidas não chegaram.

Segundo dados do Mapa de Vacinação, apenas 8 milhões de pessoas foram vacinadas com as duas doses até agora. Um absurdo num país de mais de 211 milhões de habitantes. Fruto da política negacionista de Bolsonaro e da hipocrisia e demagogia dos governadores.

O clima de tensão aumenta com os focos de luta de classes pelo país tendo à frente os trabalhadores do transporte. É preciso organizar uma saída dos trabalhadores, independente dos capitalistas e dos partidos burgueses. Lutar pela quebra das patentes da vacinas e uma vacinação em massa o mais rápido possível. Somente os trabalhadores organizados podem arrancar isso através da luta. Que as grandes centrais como CUT e CTB, dirigidas pelo PT e PCdoB unifiquem todas as lutas e organizem assembleias em todas as categorias para uma grande paralisação no dia 20 em unidade com o chamado dos trabalhadores dos transportes.




Tópicos relacionados

Quebra das patentes   /    Vacina contra a covid-19   /    Vacinação   /    Crise Sanitária   /    Classe Trabalhadora   /    Que os capitalistas paguem pela crise!   /    Sociedade   /    Política

Comentários

Comentar