Política

FORÇAS ARMADAS

Enquanto o povo passa fome, Exército vai ganhar R$80 mil com bonecos tipo Rambo

Em meio ao congelamento de salários de professores e trabalhadores da saúde, o Exército vai gastar R$80 mil em brindes e materiais de fotografia com canetas, bonés e miniaturas de soldados Rambo.

segunda-feira 15 de março| Edição do dia

Imagem: Marcos Corrêa / PR

Será comprado pelo Batalhão de Mauá, Araguari e Minas Gerais 110 ‘kits churrasco’ que incluem uma maleta de alumínio com gravação a laser da estampa do Exército e que incluirão brindes e bonecos, distribuídos também para outras unidades.

O governo gasta astronomicamente em meio a pandemia também em outras ocasiões: em fevereiro somente, foi feita a compra de artigos esportivos no valor total de R$737 mil para a Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) e a compra de 700 toneladas de picanha e 80 mil cervejas para as Forças Armadas. Além disso, em janeiro o executivo gastou, apenas em leite condensado, R$15 milhões.

Veja também: Exército compra bicicletas para triathlon que chegam a R$26,3 a unidade

R$15 milhões do leite condensado de Bolsonaro pagaria 2 parcelas de auxílio emergencial para 25 mil pessoas

Enquanto isso, nesta segunda-feira, dia 15, foi aprovada a PEC que congela salários de professores e trabalhadores da saúde e que segue o teto de gastos de R$44 bilhões e impede o reajuste salarial e contratação de novos funcionários. O novo auxílio emergencial deve ficar, segundo Paulo Guedes, entre R$175 e R$375.

O gasto com o Exército e as Forças Armadas sozinhas poderiam pagar a primeira parcela do auxílio emergencial de quase 5 mil pessoas.

Leia mais: URGENTE: Congresso promulga PEC que congela salários de professores e trabalhadores da saúde até 2036




Tópicos relacionados

Colapso da saúde   /    Bolsonaro   /    COVID-19   /    Auxílio emergencial   /    PEC Emergencial    /    Governo Bolsonaro   /    Exército   /    Forças Armadas   /    Professores   /    Política

Comentários

Comentar