Economia

Economia

Enquanto cortam salários de professores, Congresso prevê reajuste salarial a militares

O orçamento de 2021 (...) destina R$ 8,3 bilhões para o Ministério da Defesa, totalizando um quinto (22%) do total para todo o governo federal.

terça-feira 23 de março| Edição do dia

José Cruz/Agência Brasil

O orçamento de 2021, previsto para ser votado esta semana com quatro meses de atraso em meio a maior crise do país e que decide os rumos do dinheiro público, destina R$ 8,3 bilhões para o Ministério da Defesa, totalizando um quinto (22%) do total para todo o governo federal, segundo relatório apresentado ontem pelo senador Márcia Bittar (MDB-AC). Além disso, ao contrário dos professores e do funcionalismo público que terão seus salários congelados até 2036 com a PEC Emergencial, os parasitas dos militares são a única categoria que provavelmente será contemplada com reajuste salarial, o que deve custar cerca de R$ 7,1 bilhões aos cofres públicos.

Concomitantemente, o SUS encontra-se em uma situação calamitosa com o agravamento da pandemia de covid-19 e com os recursos escassos, mesmo assim o orçamento só prevê a injeção de mais R$ 1,2 bilhões em relação ao orçamento aprovado ano passado.

Tal projeto escancara as prioridades do governo reacionário e negacionista de Bolsonaro e do regime do golpe que investe mais no exército brasileiro do que no sistema de saúde no seu momento de maior colapso.




Tópicos relacionados

BolsonaroGenocida   /    Bolsonaro   /    Teto de Gastos   /    Economia   /    Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Exército   /    Jair Bolsonaro   /    Câmara dos Deputados   /    Centrão na Câmara   /    Senado   /    Congresso   /    Economia   /    Política

Comentários

Comentar