×

Corrupção e vacinas | Empresário afirma que empresa fiadora da Covaxin no Ministério da Saúde é fantasma

Abdul Fares alega ainda que o advogado Marcos Tolentino, próximo do líder do governo na câmara, seria o dono da empresa fantasma, a Fib Bank

sexta-feira 27 de agosto | Edição do dia

O empresário Abdul Fares, que já havia revelado à CPI da Pandemia que ocorriam fraudes na empresa Fib Bank, fiadora da compra da vacina Covaxin no Ministério da Saúde, agora revelou que a empresa seria fantasma e que o advogado Marcos Tolentino seria o dono dela.

Tolentino é próximo do deputado Ricardo Barros (PP), líder do governo na câmara e investigado na CPI. Ele prestará depoimento aos senadores na próxima quarta-feira por ser suspeito de ser sócio da oculto da Fib.

O empresário paulistano disse que foi apresentado a Tolentino como sendo o dono da Fib, e que recebeu das mãos do próprio Tolentino a carta-fiança da empresa para um negócio privado em agosto de 2020. Após algum tempo, disse que houve uma mudança de postura de Tolentino, que passou a se portar como mero coligado à empresa, e não mais assumindo uma posição de dono.

Confrontado com o depoimento de Roberto Ramos, diretor-presidente da Fib à CPI nesta quarta-feira (25/8), Fares apresentou uma conversa de WhatsApp que tiveram em junho e que contradiz a versão de Ramos.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias