Mundo Operário

RODOVIÁRIOS DO RIO DE JANEIRO

Empresa Real demite mais 75 rodoviários do Rio, parcelando pagamentos em 12 vezes

quinta-feira 10 de dezembro de 2020| Edição do dia

A Empresa de Ônibus Real segue atacando os rodoviários com demissões em massa. Agora são 75 os demitidos, e a empresa diz que irá parcelar os pagamentos do FGTS, 13º salário, tudo em 12 vezes! Segundo fontes, a maioria dos demitidos são motoristas, mas desta vez a empresa também incluiu o pessoal da oficina da empresa no pacote das demissões.

Esta é mais uma covardia contra o trabalhador, por parte das empresas de ônibus da capital e do estado do Rio de Janeiro. A Real já havia demitido mais de 50 rodoviários em novembro, com a mesma história de parcelamento em 12 vezes. Rodoviários denunciam que a empresa não deposita o FGTS dos trabalhadores, em alguns casos há 3 anos. A mesma coisa para o INSS.

A Real e a maioria das empresas de transporte vem praticando ataques como o parcelamento do 13º salário para todos os trabalhadores, e em resposta, trabalhadores de empresas como a Redentor, Futura e outras, paralisaram recentemente os ônibus e o BRT e conseguiram reverter estes parcelamentos, fazendo as empresas pagarem parte do 13º salário já.

Esta força que os trabalhadores expressaram nestas paralisações é a única coisa entre a sanha de lucro dos patrões e a estabilidade dos trabalhadores em seus empregos. Só mesmo pegando no bolso é que a patronal sente a força que os trabalhadores tem. Unificando os trabalhadores de todas as empresas começando pela Real, é possível barrar as demissões, barrar os parcelamentos de salários e barrar a MP de Bolsonaro que permite que as empresas deixem o rodoviário em casa sem pagar a sua diária.

Os sindicatos de rodoviários, ao invés auxiliar as empresas no processo de demissão de rodoviários, como vem fazendo atualmente, deveria organizar uma luta para impor uma lei contra as demissões! O trabalhador rodoviário é essencial e não pode ser descartado pelas empresas assim durante a pandemia, sem nem mesmo a garantia do recebimento de seus pagamentos.




Tópicos relacionados

rodoviários   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar