Política

EXTREMA DIREITA

Em vídeo, o reacionário Malafaia vocifera descompensado contra o marxismo e a esquerda

Lambendo as feridas da baixa na performance da extrema direita nas eleições municipais, que também deixaram um gosto amargo para Bolsonaro, o pastor Silas Malafaia tenta contra-atacar berrando descompensado em vídeo contra o marxismo e a esquerda.

quinta-feira 19 de novembro| Edição do dia

Seguindo seu reacionário script, o dono de Igreja Silas Malafaia divulgou nesta quarta, 18, um vídeo em suas redes numa tentativa de intervir nos rumos do 2º turno das eleições em São Paulo. Vociferando descompensado contra o marxismo e os partidos que estão à esquerda do golpismo que tanto defende, Malafaia retoma a clássica ladainha que atribui ao marxismo a “destruição de nações”, como se o capitalismo com suas guerras e saques imperialistas, deixando um rastro de crise e miséria para a maioria da população mundial, fosse um “mar de prosperidade”. Algo que só pode ser almejado por um pastor capitalista como ele.

Na mesma lógica, ainda levanta a bola do famigerado projeto “Escola sem partido” atacando os professores, ao mesmo tempo que prolifera todo seu ódio contra as mulheres e LGBTs e contra a educação laica, quando ataca o que a direita chama de “ideologia de gênero”. Isso sem falar na patética mentira de, vejam só, atribuir ao movimento feminista uma “defesa dos estupradores” (sic) quando na verdade trata-se de garantir os direitos mínimos das mulheres, combatendo a interferência policial nos pouquíssimos casos em que o aborto é legalizado.

Mas Malafaia, que baseia sua “teologia da prosperidade” em esquemas de corrupção e que defende que o aborto é pior que o estupro, não é um caso isolado dentro de um cenário político que hoje está concentrado na disputa entre direita e extrema direita.

Não nos deixemos enganar que o que separa a extrema direita da direita é uma distância ínfima, muito menor do que as demagogias, como por exemplo as do candidato da direita, Bruno Covas e seu padrinho João Doria, querem aparentar. A realidade mostra que entre direita e extrema-direita as diferenças tendem a zero quando o objetivo é priorizar os lucros, privatizando, atacando os direitos dos trabalhadores e da população, atacando a educação e a saúde públicas, que atingem mais profundamente a vida das mulheres, negros e LGBTs, .

A resposta contra a direita e extrema-direita não pode ser a moderação no discurso e acenos aos interesses burgueses como tem sinalizado o PSOL, tampouco a conciliação com os setores mais reacionários e golpistas como vem fazendo historicamente o PT. Nesse sentido, colocamos todas as nossas energias em São Paulo para derrotar Covas, mas com um programa político à altura, que parte da ruptura dos compromissos com a patronal e os golpistas. A crise econômica internacional, agravada pelos efeitos da pandemia, seguirá produzindo grandes enfrentamentos e novos ataques às condições de vida das massas. Se preparar para esse cenário é desafio que nos colocamos para agora.




Tópicos relacionados

LGBTfobia   /    Gênero e Sexualidade   /    Eleições 2020   /    Igrejas Evangélicas   /    Governo Bolsonaro   /    Silas Malafaia   /    Extrema-direita   /    Mulheres   /    Marxismo   /    Esquerda   /    LGBT   /    Política

Comentários

Comentar