Internacional

CORONAVÍRUS NO EUA

Em novo recorde: EUA registram 6,648 milhões de pedidos de auxílio-desemprego

Os anúncios de cortes de postos de trabalho por empregadores nos Estados Unidos saltaram de 56.660 em fevereiro para 222.288 em março, diante do impacto econômico da pandemia de coronavírus, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira pela Challenger, Gray & Christmas. Uma clara demonstração da tentativa de fazer com que os trabalhadores paguem pela crise em meio a pandemia da Covid-19.

quinta-feira 2 de abril| Edição do dia

Do total, 141.844 cortes têm relação direta com o coronavírus. Entre esses, 83.234 ocorreram na indústria de entretenimento e lazer e 11.991 no setor automotivo. Os cortes não consideram licenças temporárias, o que aumentaria exponencialmente este número.

Os novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos saltaram 3,341 milhões na semana encerrada em 28 de março, para o novo recorde de 6,648 milhões, segundo dados com ajustes sazonais publicados hoje pelo Departamento do Trabalho do país.

O total ficou bem acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 3,1 milhões de solicitações.A leitura da semana anterior, que até então havia sido recorde, foi revisada de 3,283 milhões para 3,307 milhões de pedidos.

Esta é a realidade do maior país imperialista do mundo, são os trabalhadores os mais atingidos pela crise econômica e pela pandemia. Com mais de 200 mil casos confirmados e 5 mil mortos (além das subnotificações), as prioridades de Donald Trump é salvar as grandes empresas, como ficou claro com a aprovação na sexta-feira passada (28), do pacote de estímulo de 2 trilhões de dólares, que é principalmente para melhorar a lucratividade das empresas. Ainda assim, o presidente ordenou que a General Motors fabricasse respiradores, o que demonstra que sem os trabalhadores será impossível enfrentar a pandemia. Todavia, enquanto as prioridades são salvar as empresas e seguir sua escalada golpista na Venezuela, com o reforço da presença militar no Caribe e a pressão ao governo de Maduro através do "plano de transição de poder" que significa aumentar a espoliação imperialista baseado nos interesses econômicos deste país na America Latina, fica evidente que Trump e os capitalista não se importam com a vida dos trabalhadores.

Por isso, a seção norte americana do Esquerda Diário, o Left Voice, da a mesma batalha que estamos dando aqui no Brasil para que sejam os trabalhadores a responderem a crise econômica e sanitária que se expande mundo afora. Os trabalhadores podem reorganizar a produção, assumindo o controle da mesma, à serviço de produzir todos os insumos necessários para o combate a Covid-19.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Estados Unidos   /    Internacional

Comentários

Comentar