Política

Pandemia

Em meio a pandemia, medicamentos usados para intubar pacientes devem acabar em 20 dias

Os medicamentos são fundamentais para intubar os pacientes em UTIs e associações de hospitais e trabalhadores da saúde alertam essa situação à Anvisa

quinta-feira 18 de março| Edição do dia

IMAGEM: ANGÊNCIA BRASIL

Em meio a imensa crise sanitária que o país vive, o estoque de analgésicos, sedativos e bloqueadores musculares que são necessários para entubar pacientes em UTIs pode acabar em 20 dias no país.

O que pode agravar as fatalidades no Brasil, que vem chegando em patamares catastróficos, levando os pacientes a falecerem sufocados por não terem a ventilação mecânica garantida devido a ausência desses medicamentos.

Isso tudo num marco, de que em inúmeras cidades a taxa de ocupação de UTIs vem acelerando fortemente, elevando o consumo destes mecanismos em diversas localidades diferentes, sem contar o fato de que já existem casos de contaminados por Covid-19 falecerem nas filas desse tipo de atendimento.

Trata-se de uma situação extremamente grave e que diversas associações que representam intensivistas, hospitais e operadores de saúde vem alterando sobre isso e recorrendo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para que se tome providências, frente a isso. Ao mesmo tempo, tal situação também reflete o descaso do governo negacionista de Bolsonaro, assim como da postura demagógica e não efetiva dos governadores, frente ao avanço da pandemia e o risco de acabar um recurso vital para o tratamento das pessoas contaminadas




Tópicos relacionados

Colapso da saúde   /    MORTES COVID-19   /    Bolsonaro   /    Crise do Coronavírus   /    Crise na Saúde   /    COVID-19   /    Pandemia   /    Coronavírus   /    Anvisa   /    Política

Comentários

Comentar