×

Rachadinha no senado | Em esquema de rachadinha, Alcolumbre toma R$2 milhões, segundo revista

Segundo reportagem da revista “Veja”, recebia a maior parte do salário de assessoras desde de 2016

sexta-feira 29 de outubro | Edição do dia

Foto: Pedro França/Agência Senado

De acordo com reportagem, durante o período de janeiro de 2016 até março deste ano, o senador e ex-presidente do senado Davi Alcolumbre (DEM) teria recebido a maior parte do salário de 6 assessoras, totalizando um montante de R$ 2 milhões. Segundo as informações divulgadas na reportagem, as funcionárias ganhavam entre R$ 4 mil e R$ 14 mil. Além do salário, as funcionárias entregavam ao senador benefícios e verbas rescisórias. Pessoas de confiança de Alcolumbre seriam encumbidas de recolherem o dinheiro e repassa-lo.

Enquanto comandava o esquema de corrupção, Alcolumbre foi presidente do senado em 2019 até o final de 2020. Atualmente é membro da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)

Em detalhamentos na reportagem, as assessoras tinha contas bancárias abertas, com cartões e senhas de posse de tais pessoas de confiança do senador para que pudesse ser pego seus salários e repassados. em troca, as assessoras recebiam uma quantia que representava, as vezes, menos de 10% do salário.

Veja também:
Tudo em família - TJ-RJ quebra sigilo de 11 ex-assessores de Carlos Bolsonaro; 7 são parentes de Ana Cristina

Rachadinha - Ex-mulher de Bolsonaro é investigada por depósitos suspeitos de R$ 532 mil em espécie

Corrupção na família Bolsonaro - Carlos Bolsonaro é citado como suposto chefe de organização criminosa por juiz do TJ-RJ

As seis mulheres que teriam aceitado participar do esquema seriam moradoras da periferia do distrito federal, estariam desempregadas e com dificuldades financeiras. Segundo a Veja, elas não teriam ensino superior e nem experiência com funções no legislativo.

Fala de uma das mulheres, segundo revista:

— O senador me disse assim: ‘Eu te ajudo e você me ajuda’. Estava desempregada. Meu salário era mais de R$ 14 mil, mas topei receber apenas R$ 1.350 reais. A única orientação era para que eu não dissesse para ninguém que tinha sido contratada no Senado — disse Marina, de 33 anos.

O senador negou as acusações, em nota, e disse que só tomou conhecimento dos fatos agora.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias