Política

GOVERNO BOLSONARO

Em declaração, Bolsonaro defende Empreendedores que recebem multas por violações ambientais

Defensor do agronegócio e dos latifundiários, o presidente Bolsonaro declarou que "Empreendedor na Amazônia virou foragido" devido as multas que recebem pelas violações ambientais e mostrando que quer deixar o espaço aberto para os grandes empresários do agronegócio seguirem destruindo a floresta amazônica.

quarta-feira 16 de outubro| Edição do dia

Na tarde de hoje (16), no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que uma pessoa “empreendedora” na Amazônia levou tantas multas de órgãos fiscalizadores que acabou virando “foragido da Justiça” por não ter condições de pagá-las. Novamente ele mostra o seu descaso com o meio ambiente em defesas de empresários do agronegócio que violam as leis ambientais que destroem a floresta amazônica.

Bolsonaro ainda vai mais longe em sua declaração ao dizer que “o povo não tem vontade de ser patrão no Brasil”. “Por que não está dentro do povo querer ser patrão ou empreendedor? Talvez, no seu subconsciente saiba da dificuldade que é ser patrão no Brasil” afirma Bolsonaro.

A declaração de Bolsonaro é muito absurda e não é recente, como no início do ano questionou que “Quem quer ser patrão no Brasil com tantas ações trabalhistas?” onde ele queria justificar os ataques que estava preparando como a Reforma da Previdência que foi aprovada na Câmara dos Deputados, e MP 881 da Liberdade Econômica que veio para precarizar ainda mais, retirar mais direitos e fazer sangrar os trabalhadores em nome do lucro dos patrões.

Enquanto que para Bolsonaro é “terrível ser patrão”, os trabalhadores seguem sofrendo com a crise, perdendo seus direitos e sendo colocados em postos de trabalhos informais e precários, como os tele-entregas da Rappi, Ifood e Ubereat. E enquanto ele defende os empreendedores que recebem multas por violação ambiental, grande parte da floresta amazônica foi destruída devido aos incêndios que ocorrerão de forma criminosa e já anunciada por um grupo de latifundiários.




Tópicos relacionados

Amazônia   /    Governo Bolsonaro   /    Agronegócio   /    Política

Comentários

Comentar