Política

AUTORITARISMO DO JUDICIÁRIO

Em decisão arbitrária, candidatura de Lindbergh Farias (PT) é cassada

A 23ª Promotoria Eleitoral do Rio de Janeiro cassou a candidatura de Lindbergh Farias, do PT, a vereador no Rio de Janeiro. É mais uma decisão arbitrária do judiciário que foi pilar do golpe de 2016 e que manipulou as eleições de 2018 ao prender Lula.

quinta-feira 22 de outubro| Edição do dia

O pedido de cassação havia sido feito pelo Ministério Público Eleitoral se baseando em acusações de enriquecimento ilícito e campanha antecipada por parte de Farias quando era prefeito de Nova Iguaçu, na região metropolitana do Rio de Janeiro, e concorria a reeleição, em 2008.

Ele, que se elegeu senador em 2010 e ocupou o cargo até o final de 2018, teve seus direitos políticos cassados em dezembro de 2019. Uma vez mais o judiciário mostra seu papel autoritário dentro do regime apodrecido do golpe institucional de 2016, cassando candidatos, como foi o caso de Lula em 2018, retirando o direito da população escolher em quem votar.

Mesmo sem dar nenhum apoio político ao PT, que foi parte integrante dos governos reacionários de Sergio Cabral e Eduardo Paes no Rio de Janeiro, é fundamental combater sem trégua estes ataques autoritários do poder judiciário.




Tópicos relacionados

Eleições 2020   /    Eleições Rio de Janeiro   /    Poder Judiciário   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar