Sociedade

CORONAVÍRUS

Em SP população sem renda é enganada por Fake News de entrega de mantimentos

No meio dessa crise causa pela pandemia do Coronavírus, moradores de São Paulo que vem sofrendo com essa situação foram enganados por noticia falsa de distribuição de cestas básicas pela Prefeitura que estava vinha circulando pela internet.

quinta-feira 2 de abril| Edição do dia

Circulou pela internet a noticia falsa que o CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) Guaianazes, localizado na Zona Leste, estaria entregando cestas básicas. A notícia mobilizou centenas de pessoas, fazendo com que algumas fossem até o local, inclusive contrariando a quarentena que está em vigor no Estado de São Paulo. A repercussão foi tão grande que o Prefeito da Cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) precisou se pronunciar em nota oficial informando que nenhuma das unidades assistenciais da prefeitura fazem entrega de donativos.

Não é a primeira vez que notícias falsas circulam nas redes, em tempos de fake news, está cada vez mais natural que cheguem pelas mídias sociais, diversas informações falsas. Contudo, a proporção desta notícia, está diretamente ligada a situação alarmante que os trabalhadores informais e desempregados estão enfrentando durante essa pandemia. Com as escolas e comércios fechados e a diminuição da circulação das pessoas tem afetado a garantia de renda de uma parcela importante da população, que tem buscado meios para que suas famílias não passem fome. Sabe-se que a situação desses setores da população já eram escandalosas antes do Coronavírus, mas com o decreto da quarentena, até mesmo a alimentação já precária, passa a ser afetada, inclusive das crianças, que muitas vezes, contam apenas com a alimentação escolar como refeição do dia.

Esse desespero das famílias em manterem sua subsistência escancara o descaso dos governos. Em São Paulo, o Governador Dória (PSDB), aparece muito preocupado com a Pandemia do COVID-19, mas não garante meios para a população mais pobre se alimentar. A proposta feita pelo Governador para garantir a alimentação de crianças é um auxílio financeiro mensal de R$55,00 por aluno, segundo o próprio esta seria uma medida para suprir a falta da merenda escolar. Ou seja, o Estado de São Paulo, vai gastar menos de R$2,00 por dia para a alimentação das crianças em extrema pobreza.

A proposta do Governo federal, também não é muito diferente, a proposta emergencial para as famílias de baixa renda que pode até R$1.500,00, por família, além de ser insuficiente, sequer foi sancionado por Jair Bolsonaro. Isso demonstra, que apesar de parecerem estar em lados opostos, Dória e Bolsonaro, tem a mesma posição quando se trata dos trabalhadores e setores em vulnerabilidade social do país, deixá-los à própria sorte.

Por isso, nós do Esquerda Diário defendemos que os governos, que não medem esforços, e dinheiro, para ajudar os empresários e os bancos, precisam se responsabilizar com a subsistências de milhares de familiares que não conseguiram se manter enquanto a pandemia durar. Que seja um valor que possa responder minimamente à uma família, por isso defendemos uma de renda básica de R$2.000 por pessoa, assim como outras medidas para diminuir o custo de vida. Como a suspensão da cobrança das contas de luz, água, gás e telefone durante esse período de calamidade pública e o congelamento dos preços dos alimentos e produtos essenciais. E para garantir essas e outras demandas essenciais para a manutenção da vida e dos empregos, é necessário atacar os interesses e os lucros dos capitalistas, através da taxação progressiva de suas grandes fortunas, assim como precisamos lutar pela revogação do teto de gastos da saúde e educação e pelo não pagamento da dívida pública.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Bruno Covas   /    Sociedade   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar