Juventude

29M BRASÍLIA

Em Brasília milhares tomam as ruas nesse 29M contra Bolsonaro

Milhares de estudantes e trabalhadores estão tomando as ruas em Brasília para enfrentar o governo Bolsonaro e os militares que assim como congresso, STF e governadores são responsáveis pela situação miserável que vivemos. Frente aos cortes na educação e a possibilidade de fechamento das universidades federais, os ataques aos trabalhadores e as mais de 459 mil mortes na pandemia nossa mobilização nas ruas é o que pode virar o jogo.

sábado 29 de maio| Edição do dia

Mais de 1500 estudantes e trabalhadores estão concentrados em frente ao Museu Nacional em Brasília para mostrar seu ódio ao governo Bolsonaro frente aos cortes na educação. O governo anunciou corte orçamentários às federais, por meio da aprovação da Lei Orçamentária, sancionada por Bolsonaro e aprovada pela Câmara e Senado, que retirou R$ 1,1 bilhões do orçamento anual, fazendo com que as universidades federais voltassem ao orçamento que tinham em 2004. Mas não só isso, frente as milhares de mortes que são responsabilidade deste governo negacionista aliado dos militares mas também do congresso, STF e governadores que seguem unificados quando o assunto é atacar os trabalhadores.

As manifestações que ocorrem nacionalmente são uma mostra do sentimento de ódio e revolta que estão instalados contra esse governo. Nesse momento as manifestações poderiam ser ainda maiores se as centrais sindicais como a CUT e a CTB dirigidas pelo PT e PCdoB não estivessem atuando para dividir as lutas como fizeram nesse 29M. Temos que seguir exigindo que estas centrais saiam da paralisia apostando em instrumentos institucionais como a CPI e o Impeachment que servem apenas para desgastar Bolsonaro apostando nas eleições de 2022.

Veja também: Direção do DCE da UnB vai contra unificar estudantes e trabalhadores no 29M

Nós do Esquerda Diário e da juventude Faísca estamos mobilizados neste dia 29M para que este possa ser um ponto de apoio para que se organize um verdadeiro plano de lutas nacionalmente para que possamos derrotar Bolsonaro, Mourão e os militares nas ruas. Fazemos um chamado pela construção de um polo antiburocrático, onde tanto a esquerda, como os movimentos sociais e as centrais - como CSP-Conlutas e Intersindical - exijam das grandes centrais sindicais a organização de assembleias e reuniões em cada local de trabalho e estudo para barrar todos os ataques.




Comentários

Comentar