Educação

Educadores: começa amanhã o curso Mulheres Negras e Marxismo com Letícia Parks

Convidamos todas as trabalhadoras e trabalhadores da educação para fazer parte do curso Mulheres Negras e Marxismo! O curso, totalmente gratuito, será oferecido pelo Campus Virtual do Esquerda Diário e transmitido pelo Youtube. Ministrado pela professora Letícia Parks, abordará conceitos chave para a construção de um pensamento marxista sobre a questão negra e gênero. Para isso, resgataremos tanto textos clássicos do marxismo, demonstrando sua relevância para a organização da classe trabalhadora e de seus setores mais oprimidos, quanto debates contemporâneos que percorrem a luta das mulheres negras.

segunda-feira 5 de abril| Edição do dia

“O trabalho de pele branca não pode se emancipar onde o trabalho de pele negra é marcado a ferro”. Esta frase de Karl Marx presente em sua obra O Capital nos chama a refletir sobre as condições de trabalho da nossa classe, principalmente do povo negro, e qual caminho deve ser trilhado no sentido da emancipação da classe trabalhadora. A categoria de professores, conformada majoritariamente por mulheres, é exemplo de luta por direitos e no enfrentamento aos ataques dos governos. Este curso é uma contribuição muito necessária para que possamos construir uma educação antirracista e anticapitalista nas escolas.

O curso terá início amanhã e seguirá nas próximas terças-feiras (6, 13, 20 e 27 de Abril), sempre às 20h pelo canal do Esquerda Diário no Youtube. Será composto por 4 aulas, sendo elas 1- “Opressão e Exploração”, 2- “Luta Negra e Luta de Classes”, 3- “Negras no Topo?”, 4- “Mulheres Negras e Estratégia Socialista” . É uma arma teórica para a luta antirracista, feminista e anticapitalista.

Tendo como base o livro Mulheres Negras e Marxismo, organizado por Letícia Parks, Odete Assis e Carolina Cacau através da Editora Iskra, que foi lançado no dia 26 de março, o curso pretende se debruçar em questões centrais da discussão sobre a luta das mulheres negras no capitalismo à luz da teoria marxista. Para se inscrever no curso e consultar a bibliografia completa, basta entrar no site do Campus Virtual e realizar a inscrição.

Para maiores informações sobre o livro, outras publicações da Editora Iskra e como adquiri-los: acesse o site https://iskra.com.br/

As aulas ficarão gravadas e serão disponibilizadas para todos os inscritos que não puderem acompanhar ao vivo o curso. Paralelamente estão sendo organizados grupos de estudos, também virtuais, por todo o país, junto a trabalhadores de diversas categorias. Para quem for do estado de São Paulo pode se inscrever nos grupos de estudos através deste link.

Durante a pandemia, a classe trabalhadora, que no Brasil é majoritariamente composta por mulheres negras, vêm se mostrando essencial, ocupando a linha de frente no combate ao coronavírus, seja como efetivas ou terceirizadas, têm de se enfrentar com os ataques brutais por parte dos governos e dos patrões. Sem vacinas, testes, EPI´s e por vezes sem salários, são submetidas a uma vida miserável, divididas entre o medo da morte e a fome. É se apoiando nas lutas dessas mulheres, como por exemplo as educadoras do estado de São Paulo, que realizaram greve pela vida, contra a reabertura insegura das escolas imposta por Doria e seu secretário Rossieli, que o curso vai acontecer, como disse Odete, “É nesse potencial que nos apoiamos, e que queremos levar até o fim, para que das revoltas surjam as revoluções que poderão, enfim, construir um caminho para o fim do racismo e da exploração.”

Esperamos todas vocês amanhã para construirmos um potente e transformador curso!




Tópicos relacionados

Luta de Classes   /    negras e negros   /    mulheres negras   /    Marxismo   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar