Opinião

BOLSONARISMO QUER CRIMINALIZAR MANIFESTAÇÕES E PSOL

Eduardo Bolsonaro abre representação na PGR contra deputados do PSOL por manifestações em SP

Eduardo Bolsonaro quer criminalizar os deputados do PSOL Sâmia Bonfim e Gçauber Braga, além de Alexandre Frota (PSDB) por conta das manifestações antifascistas ocorridas em SP neste domingo (31), que foram duramente reprimidas pela PM de João Doria.

segunda-feira 1º de junho| Edição do dia

Eduardo Bolsonaro e Douglas Garcia abriram hoje uma representação na PGR contra Sâmia Bonfim, Glauber Braga - ambos do PSOL - e também Alexandre Frota (PSDB), na intenção de responsabilizá-los e criminalizá-los pelas manifestações que aconteceram em São Paulo neste domingo (31).

Os atos antifascistas ocorreram como uma resposta aos costumeiros atos do bolsonarismo aos domingos, e foram duramente reprimidos pela PM de Doria. Os dois deputados do PSOL participaram das manifestações, e, segundo Bolsonaro, Frota teria "incentivado" as ações.

Eduardo Bolsonaro quer criminalizar Sâmia e os outros deputados, sob a justificativa de atos que foram “badernas”, e os “ataques que sofreram os paulistas que haviam se manifestado em apoio ao presidente da república.”

Seguindo o rastro de Trump, o lambe-botas Jair Bolsonaro também declarou que vai criminalizar os movimentos Antifascistas, e essa representação que levam os deputado Eduardo Bolsonaro e Douglas Garcia é parte dessa criminalização, atacando a esquerda que se manifestou contra seus atos.

Deixamos aqui nossa solidariedade aos deputados do PSOL contra os ataques do bolsonarismo. A criminalização do antifascismo vêm no sentido de criminalizar e atacar a esquerda, em nome dos avanços autoritários de Bolsonaro e seu governo.




Tópicos relacionados

Eduardo Bolsonaro   /    Movimentos Sociais   /    PSOL   /    Opinião

Comentários

Comentar