Mundo Operário

USP

É necessário defender o Centro de Saúde-Escola Butantã da USP diante da ameaça de retirarem seu espaço

terça-feira 25 de maio| Edição do dia

É necessário defender o Centro de Saúde-Escola Butantã da USP diante da ameaça de retirarem seu espaço

O Centro de Saúde-Escola Samuel Barnsley Pessoa foi fundado em 1977 como uma unidade de ensino de saúde vinculada à Faculdade de Medicina e onde se desenvolvem atividades de ensino, pesquisa e atendimento primário à saúde. Nesta unidade estudantes de diversos cursos como Medicina, Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional, Saúde Pública fazem estágios na área de saúde.

Há vários anos o CSEB (que atende mais de 25 mil usuários do Butantã) veio sendo sucateado como consequência das políticas de desmonte adotadas pela reitoria da USP, sofrendo com a falta decorrente das demissões provocadas por dois PIDVs (Plano de Incentivo à Demissões Voluntárias), o congelamento das contratações para substituir trabalhadores que se aposentaram ou faleceram e dar conta da demanda de usuários. Essa situação do CSEB não está descolada da politica que a reitoria da USP vem adotando para o Hospital Universitário da USP que também vem sendo sucateado ano após ano expondo a vida e a saúde dos trabalhadores que continuaram trabalhando em meio a pandemia, inclusive os trabalhadores do grupo de risco e tiveram que lutar para ter o direito minimo aos EPIs.

Esta é a segunda tentativa de retirada do CSEB de seu espaço pelo Instituto Butantã (com a conivência da reitoria da USP e Faculdade de Medicina da USP) e não podemos descartar que essa medida leve a liquidação do CSEB como conhecemos hoje. Da primeira vez a tentativa de retirar o CSEB desse local foi barrada pela mobilização dos estudantes, trabalhadores e usuários. Dessa vez o argumento seria de que seria necessário liberar espaço para ampliar a fábrica de vacinas e aumentar a entrada. Uma mentira escandalosa já que seria possivel ampliar a entrada de várias outras formas que não fosse a retirada do CSEB do local em que está há 44 anos. É um absurdo ainda maior por tratar-se da tentativa de retirada doespaço de uma unidade de saúde em meio à uma pandemia que já levou há mais de 450 mil mortes. Na verdade o Instituto Butantã e a reitoria aproveitam-se da pandemia e do isolamento social para passar medidas absurdas como essa atacando os usuários e também os trabalhadores e estudantes dessa unidade.

O CSEB é uma conquista de toda a população (incluindo trabalhadores, estudantes da USP e moradores da região) que deve ser defendida de qualquer ameaça de retirada do espaço em que está ha mais de 40 anos. Colocamos o Esquerda Diário e nossas forças a serviço de mais essa luta da nossa classe e chamamos todas e todos para a plenária virtual convocada e organizada pelo Comitê em Defesa do CSEB que ocorrerá no dia 31/05 às 18h 30.




Tópicos relacionados

São Paulo   /    São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar