×

SAÚDE MENTAL | Durante a semana da luta antimanicomial, terceirizados da saúde mental ficam sem salario no Rio

quinta-feira 20 de maio | Edição do dia

Nós do Esquerda Diário recebemos denúncia que os trabalhadores terceirizados de, pelo menos, 10 Centros de Atenção Psicossocial do Rio, e Serviços de Residências Terapêuticas (SRT), do município do Rio, estão trabalhando sem receber. Estes trabalhadores são contratados do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (Cieds), uma Organização Social contratada pela prefeitura para prestar este serviço. São médicos, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais, acompanhantes terapêuticos, terapeutas ocupacionais, técnicos de enfermagem, redutores de danos, cuidadores dentre diversas outras categorias de trabalhadores da saúde especializados na assistência psicossocial.

São centenas de trabalhadores sem previsão de receber os salários de abril, sem o Vale Alimentação e o transporte de maio, ou seja, pagando do próprio bolso para ir trabalhar com contas atrasadas e geladeiras vazias. A OS Cieds argumentou que está esperando o repasse da prefeitura para a realização dos serviços. Uma manifestação foi marcada na prefeitura nesta quarta-feira, 26, às 10h.

As Organizações Sociais tomaram a saúde do Rio e se proliferaram nas primeiras gestões de Eduardo Paes. Na gestão de Crivella vimos manifestações de trabalhadores da Saúde por não recebimento de salário, e agora novamente, com Eduardo Paes, ocorre o mesmo. É mais um exemplo de como a terceirização vem para atacar os direitos dos trabalhadores, que vivem uma situação em que a OS diz que a prefeitura não pagou, e a prefeitura diz que já pagou. O mesmo caso foi visto com as merendeiras das creches municipais, e estamos vendo com as terceirizadas das escolas estaduais do Rio.

Os CAPS fazem parte da Rede de Assistência Psicossocial (RAPS), serviços que são de obrigação do município. Também há o convênio com a mesma OS para o Serviço de Residência Terapêutica (SRT), que trata das necessidades de moradia de pessoas portadoras de transtornos mentais graves, e os trabalhadores que fazem este serviço também estão sem receber.

Sem receber, estão os trabalhadores de 10 unidades que prestam atenção psicossocial ofertada pelo SUS:

1. CAPS ABR
2. CAPSi JOÃO DE BARRO
3. CAPS PROFETA GENTILEZA
4. CAPS PEDRO PELLEGRINO
5. CAPSi ELIZA SANTA ROZA
6. CAPS RUBENS CORREA
7. CAPS CLARICE LISPECTOR
8. CAPSi PEQUENO HANS
9. CAPS MANOEL DE BARROS
10. CAPS LIMA BARRETO

Em plena pandemia, trabalhadores da Saúde estarem sem salário mostra o total descaso da prefeitura e das OS com o serviço de saúde ofertado para o povo e para os trabalhadores. Enquanto não garante vacinação e culpa a população pelo aumento do numero de casos, a verdade é que Eduardo Paes e as OS que lucram com a privatização da saúde, não se importam realmente com a saúde da população. Estes são os verdadeiros responsáveis pelo adoecimento da população e pela marca dos 441 mil mortos pela covid-19, lado à lado com o negacionismo do governo de Bolsonaro.

Ouça e compartilhe o Podcast Peão 4.0!

Todos os dias, ouça a realidade contada a partir dos trabalhadores em 5 minutos!

Quer denunciar? Mande seu relato para +55 11 97750-9596
E siga o Esquerda Diário nas redes e plataformas de streaming!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias