Logo Ideias de Esquerda

Logo La Izquierda Diario

SEMANÁRIO

[Dossiê] A crise do NPA e o chamado à construção de um novo partido revolucionário na França

[Dossiê] A crise do NPA e o chamado à construção de um novo partido revolucionário na França

Apresentamos este dossiê especial do semanário Ideias de Esquerda dedicado à crise do Novo Partido Anticapitalista (NPA), o partido mais importante da esquerda trotskista na França. Trata-se de uma crise terminal, na qual a liderança histórica exclui a principal corrente de oposição de esquerda do partido, a Corrente Comunista Revolucionária (CCR), também conhecida pelo nome de seu jornal Révolution Permanente. Os militantes, sumariamente expulsos, representam cerca de um terço da militância do partido, dentre os quais estão os principais dirigentes operários da organização que são referências das lutas emblemáticas do último período.

Como desenvolvemos em outros artigos (aqui e aqui, entre outros) a cisão que se desenvolveu no NPA corresponde ao antagonismo entre dois projetos estratégicos. “Um”, representado pela antiga maioria, que busca levar o partido rumo a um acordo político eleitoral com o reformismo do partido La France Insoumise, de Jean-Luc Mélenchon, e transformá-lo em um de satélite deste. O outro, representado pela CCR, com uma política de independência de classe e intervenção decisiva nas lutas da classe trabalhadora e da juventude, para que o NPA caminhe rumo à construção de um partido revolucionário. Um debate de primeira ordem e importância para a extrema esquerda, não somente na França, mas internacionalmente, e que desenvolvemos em vários artigos.

Esta semana foi publicada a declaração de 296 militantes de 34 comitês do Novo Partido Anticapitalista (NPA) – um partido que, ao todo, segue em crise, com atualmente cerca de 1.000 militantes – na qual se faz um balanço de sua expulsão da organização e levanta a nova etapa que se abre na batalha pela construção de um Partido Revolucionário dos Trabalhadores na França. A declaração completa com suas assinaturas pode ser lida aqui.

Neste dossiê, também apresentamos uma série de artigos cujos autores vêm de diferentes tradições e dão suas respectivas opiniões sobre a crise da NPA.

O primeiro, “França: O colapso político e moral da esquerda do NPA”, corresponde a Jean-Philippe Divès, que foi por muitos anos militante da Ligue Socialiste des Travailleurs, parte da LIT-QI fundada por Nahuel Moreno, mais tarde militou na Ligue Communiste Révolutionnaire (LCR) até a fundação do NPA, do qual tornou-se parte, tornando-se um dos editores de sua revista teórica L’Anticapitaliste. É também co-autor, junto a com F. Chesnais, do livro ¡Qué se vayan todos! Le peuple argentin se soulève (Éd. Nautilus, 2002). No último congresso do NPA, em 2018, foi signatário da “plataforma Z” em conjunto com a CCR, com a qual trabalha em colaboração desde então. Está entre os signatários da recente declaração na qual cerca de 300 militantes do NPA convocam a construção de uma nova organização revolucionária.

O segundo artigo, “Carta Aberta de um militante trotskista histórico sobre a Crise da NPA”, foi escrito por Rob Lyons, que é um ex-membro da seção canadense da SU-QI (Secretariado Unificado da Quarta Internacional) e ex-Coordenador Internacional de Ação Socialista/Ligue pour l’Áction Socialiste. Através desta carta, endereçada em particular às correntes Anticapitalisme et Rèvolution e l’Etincelle, responde aos ataques que a Corrente Comunista Revolucionária recebeu na França por setores do Novo Partido Anticapitalista (NPA). Suas reflexões fazem parte de um debate contínuo sobre a formação de uma organização socialista revolucionária internacional na França, uma discussão de importância estratégica para os socialistas em todo o mundo.

Em terceiro lugar, dois artigos da Tendencia CLAIRE, uma das tendências de esquerda da NPA que, apesar de não compartilhar as propostas da CCR e apoiar a ideia de uma “candidatura unificada”, defende democraticamente a CCR contra os ataques da liderança histórica da NPA. São duas contribuições: “Não às táticas de pressão contra a CCR: respeito aos direitos democráticos de todos!” no qual denunciam a negação dos direitos democráticos à CCR no interior do NPA, e “Sobre o texto da A&R relativo à CCR: não devemos seguir o exemplo da PFU!” onde polemizam com outra das tendências do NPA, o Anticapitalisme et Rèvolution, e seus argumentos de que a CCR estaria se “auto-excluindo”.

Em quarto lugar, apresentamos o artigo “Expulsão da CCR do NPA na França: evento isolado ou consequência da trajetória política do mandelismo?”, por Juan Carrique, que foi militante até 1989 da Liga Comunista Revolucionária (LCR) do Estado espanhol, parte da corrente mandelista. Mais tarde, juntou-se ao Partido Socialista dos Trabalhadores (PST), a seção espanhola da Liga Internacional dos Trabalhadores (LIT-QI). Depois de vários anos sem pertencer a nenhuma organização política, recentemente se juntou à Corrente Revolucionária dos Trabalhadores (CRT), a seção espanhola da FT-QI. Em seu artigo ele, revisa a trajetória da corrente mandelista, tomando o caso espanhol, para vincular a concepção da democracia interna e com giros políticas oportunistas em diferentes momentos históricos.

Finalmente, trazemos aos leitores do Ideias de Esquerda a tradução de um artigo publicado recentemente na imprensa francesa. Um no jornal tradicional Le Monde, “Scission ou exclusión? Le NPA secoué par une importante crise interne”, dando um relato dos debates sobre a política da direção do NPA e a expulsão da CCR.

veja todos os artigos desta edição
Comentários