Sociedade

PANDEMIA

Doria vai enrijecer quarentena nesta quarta sem tocar nos lucros de setores não essenciais

O governo de João Doria (PSDB) em São Paulo deve anunciar hoje medidas mais restritivas para o combate à Covid, mas sem tocar nos lucros de setores não-essenciais, como igrejas e call centers.

quarta-feira 10 de março| Edição do dia

Foto: Divulgação - Governo de SP

Após a combinação de toque de recolher com escolas abertas para supostamente combater o contágio pela covid-19, João Doria (PSDB) deve anunciar hoje medidas restritivas adicionais às da fase vermelha para o estado de SP. Dentre elas está o funcionamento de escolas somente para servir refeições a estudantes que precisam e a restrição do horário de funcionamento de serviços essenciais.

Ontem, forçada pela luta dos professores e pela indignação causada pelo aumento de contaminações e mortes por via das escolas, a justiça de SP já havia determinado que os professores não são obrigados a comparecer às aulas presenciais.

Pode te interessar:

Mortes aumentam mas patronais da educação seguem ignorando a saúde de educadores

Doria não garante testes para dois terços de 24 mil suspeitas de covid nas escolas de SP

Mas o que, aparentemente, não ter seu funcionamento afetado por esse "enrijecimento" são as igrejas, jogos de futebol, call centers, fábricas e outros serviços não essenciais, mesmo que o estado esteja atravessando um alto nível de ocupação de leitos, com ao menos 30 pessoas mortas nas filas.

Veja também:

Bolsonaro e governadores deixam 4.352 pessoas em espera por leito para covid-19 no Brasil

Dias antes do colapso na saúde, Doria mandou fechar parcialmente 6 hospitais estaduais

Entre recordes de mortes por Covid, de desemprego e de ataques: só nossa classe pode impor uma saída de emergência




Tópicos relacionados

Colapso da saúde   /    Reabertura das escolas   /    Crise na Saúde   /    Grande São Paulo   /    João Doria   /    Sociedade   /    Saúde   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar