×

Ruas reservadas ao bolsonarismo | Dória toma medida ditatorial para proibir ato contra Bolsonaro no 7 de setembro em SP

Hoje (26), O governador João Doria disse que a Secretaria da Segurança Pública do Estado (SSP) vetou a realização no 7 de Setembro de atos contra Jair Bolsonaro na capital paulista. Segundo ele, por "razões de segurança", só serão permitidos atos favoráveis ao presidente, que vêm sendo divulgados com caráter abertamente golpista.

quinta-feira 26 de agosto | Edição do dia

IMAGEM: Governo do Estado de SP

O ato chamado pela Campanha Fora Bolsonaro e pela esquerda contra o governo estava previsto para ocorrer no Vale do Anhangabaú. Os atos bolsonaristas estão marcados para a avenida paulista, local que inicialmente estava o protesto da oposição, mas a Polícia Militar não autorizou, dado que segundo eles, pela alternância no uso da avenida, a vez é dos apoiadores do governo.

Frente à decisão da SSP, Doria comentou: "A Secretaria de Segurança Pública tomou a decisão, no Conselho de Segurança Pública, de administrar as duas manifestações, respeitando ambas. As manifestações são democráticas [...]. Só não há conveniência de que grupos antagonistas se manifestem no mesmo dia, ainda que em locais diferentes”. Revelando que além de seu governo proibir autoritariamente manifestações anti-governo, não apenas na cidade de São Paulo, mas em todo o estado, reconhece as manifestações bolsonaristas de caráter explicitamente golpistas como “democráticas”.

O governador também afirmou que: “a SSP vetará a utilização de qualquer área, não só na capital, mas também no estado de São Paulo, para manifestações contrárias a Bolsonaro no dia 7”. Além disso, falou que a data para atos críticos ao presidente na avenida Paulista é 12 de setembro. Neste dia estão marcados protestos dirigidos e chamados por grupos golpistas da direita e extrema direita, como MBL (Movimento Brasil Livre), VPR (Vem Pra Rua) e líderes de partidos como Novo e PSL.

O Grito Dos Excluídos, conjunto de manifestações populares que ocorrem em todo o Brasil ao longo da semana da Pátria culminando no Dia Da Independência, que acontece desde 1995, será impedido de acontecer se depender da polícia de Doria e seu governo.

Fica cada vez mais claro que Doria, PSDB e outros setores da direita não são aliados na luta contra Bolsonaro, como parte das centrais sindicais e organizações de esquerda vieram defendendo. Chamamos todas as organizações sindicais, estudantis, da esquerda e movimentos sociais a não aceitar essa medida ditatorial, que viola as garantias mais elementares que restam na constituição, e manter os atos contra Bolsonaro.

Leia também: Av. Paulista é reservada para manifestações bolsonaristas no 7 de setembro




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias