Política

CPI COVID

Diana Assunção: “Nenhuma CPI, com o centrão aliado de Bolsonaro, vai parar as mortes da Covid"

Reproduzimos aqui declaração de Diana Assunção, dirigente nacional do Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT), sobre a CPI da Covid, que irá apurar a condução da pandemia pelo governo federal.

sexta-feira 9 de abril| Edição do dia

Ontem, o ministro Barroso do STF, atendendo a um pedido de dois senadores do Cidadania, determinou que o Senado instaure uma CPI para apurar a condução da pandemia pelo governo Bolsonaro. A chamada ‘CPI da Covid’, esteve parada durante semanas, por resistência do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, aliado de Bolsonaro.

Hoje de manhã, Bolsonaro acusou o ministro Barroso, do Supremo Tribunal Federal, de ‘militância política’ por determinar a instauração e abertura da CPI, criticando também por que a CPI não abarca a atuação dos governadores na pandemia. Bolsonaro busca desviar uma apuração à forma como veio conduzindo a pandemia com seu negacionismo, que o torna responsável pelas 345 mil mortes que assolam o país hoje.

Vemos também alguns dos senadores parte do centrão que assinaram a proposta de CPI, criticarem a ação do ministro do STF. O que somente demonstra como este parlamento não é uma oposição de fato ao Bolsonaro e à maneira como o governo federal conduziu a pandemia, mas também são responsáveis por toda essa tragédia que está sendo imposta aos trabalhadores.

Não há dúvidas de que o Bolsonaro é responsável pelas quase 5 mil mortes diárias e pela situação alarmante da população hoje, em que a miséria cresce e chega a níveis absurdos. Assim como vemos que igualmente ao longo deste 1 ano de pandemia, apesar de setores do centrão, governadores, o Congresso e também setores do STF, buscarem aparecer como “oposição racional”, igualmente são parte deste regime político do golpe institucional de 2016 que aprovou e segue implementando reformas, flexibilização e corte de direitos trabalhistas, corte de investimentos, produzindo a situação que a população trabalhadora e pobre vive hoje de Covid, fome e desemprego.

Nenhuma CPI, composta pelo centrão aliado de Bolsonaro, vai parar as mortes da Covid. É preciso confiar na nossa própria força! Por isso, a importância da esquerda, seus partidos e parlamentares, conformar um pólo de organização dos trabalhadores, que se apoie nos exemplos de luta que vemos hoje com as paralisações, greves e ações de rodoviários contra os ataques, de trabalhadores que sofrem ameaças de demissão com o fechamento de fábricas em meio à pandemia.

É preciso exigir que as centrais sindicais organizem os milhares de trabalhadores que hoje sentem na pele o desespero, a perda de entes queridos e a dificuldade de colocar comida na mesa. Somente assim será possível denunciar a condução da pandemia até aqui e ter uma alternativa de fato que apresente um plano emergencial de combate à pandemia. Não podemos confiar no STF ou no centrão que são parte deste regime político que só está interessado em salvar os interesses e lucros dos empresários capitalistas, descarregando a crise sobre nossas costas, nos fazendo pagar com nossas vidas essa situação de miséria”.




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    COVID-19   /    Pandemia   /    Centrão   /    STF   /    Senado   /    Política

Comentários

Comentar