×

Afeganistão | Desespero e morte no aeroporto de Cabul diante do avanço do Talibã

Os vídeos que circulam nas mídias sociais mostram centenas de pessoas correndo pela pista enquanto soldados norte-americanos disparam tiros de advertência no ar.

segunda-feira 16 de agosto | Edição do dia

Milhares de pessoas desesperadas para fugir do Afeganistão desencadearam o caos no aeroporto de Cabul nessa segunda-feira ao tentarem embarcar em voos de repatriação no primeiro dia do país sob o controle do Talibã. Até o momento, pelo menos dez pessoas já morreram vítimas dessa situação estarrecedora.

A maré de pessoas começou a chegar ao Aeroporto Internacional Hamid Karzai na capital afegã ontem à noite, com muitas delas sem sequer documentos de viagem ou vistos, deixando imagens assustadoras depois que o Talibã entrou na cidade, culminando sua vitória final após duas décadas de guerra (2001-2021).

Na maioria, são pessoas comuns que correram para o aeroporto movidas pela idéia de que os EUA, que está evacuando seu pessoal no país, vai retirar os afegãos, disse um funcionário do aeroporto, que pediu anonimato, à agência Efe.

Até agora, nem as forças de segurança afegãs nem os combatentes talibãs assumiram a segurança no aeroporto, disse ele.

O desespero da multidão deixou dezenas de pessoas machucadas, incluindo crianças, atirando-se umas às outras para chegar à pista, onde alguns aviões programados para uma evacuação limitada de estrangeiros permanecem, disse ele.

No momento, todos os vôos do Aeroporto Internacional Hamid Karzai estão temporariamente suspensos, disse a Autoridade Afegã de Aviação Civil em uma declaração. "Fique longe do aeroporto até que os vôos sejam retomados", acrescentou ele.

Vídeos postados nas redes sociais mostram centenas de pessoas empurrando-se e subindo umas sobre as outras para embarcar em um avião, e em outros os tiros podem até ser ouvidos nas proximidades.

Uma captura de tela de um vídeo, feita pelo canal local Tolo no Twitter, mostra três corpos no chão, e a mensagem de que eles são "suspeitos de serem vítimas de tiros no Aeroporto Internacional de Cabul esta manhã", sem mais confirmação, embora também haja especulação de que eles possam ter sido mortos em uma debandada.

No início desta manhã, horário local, o Departamento de Estado norte-americano anunciou que havia "concluído" o processo de transporte dos aproximadamente 4.000 funcionários de sua embaixada em Cabul para o aeroporto.

A embaixada dos EUA também reiterou hoje seu alerta aos que aguardam repatriação para permanecerem longe do aeroporto por causa da frágil segurança na área, e para permanecerem em seus locais de segurança até novo aviso.

De forma acelerada e dramática a guerra no Afeganistão chegou ao fim ontem. Um final paradoxal, com o retorno dos Talibãs a Cabul e a oferta de suas orações com Kalashnikovs em seus ombros nos corredores do palácio presidencial restaurado, recentemente abandonado por Ashraf Gani.

O Departamento de Estado disse em uma declaração que está trabalhando para proteger o Aeroporto Internacional Hamid Karzai e permitir a partida segura do pessoal americano e aliado através de vôos civis e militares.

"Nas próximas 48 horas, teremos ampliado nossa presença de segurança para quase 6.000 soldados, com uma missão focada unicamente em facilitar esses esforços e assumir o controle do tráfego aéreo", disse.

Um grupo de 70 países de todos os continentes, incluindo Espanha, França e Alemanha, exortou na segunda-feira "aqueles em posições de autoridade em todo o Afeganistão" a permitir que cidadãos afegãos e internacionais deixassem o país.

O governo alemão insistiu hoje que a "prioridade absoluta" é "evacuar o maior número possível de pessoas que necessitam de proteção", tanto nacionais como parceiros locais, nos quais todos os esforços estão sendo concentrados.

O porta-voz do governo Steffen Seibert disse que a operação de evacuação em andamento tinha como objetivo "trazer pessoas em perigo para a segurança", descrevendo os desenvolvimentos após "anos de engajamento internacional" no Afeganistão como "amargos".

Um grupo de 40 pessoas foi evacuado ontem à noite e voou para Doha por um avião da força aérea norte-americana, enquanto três aviões de transporte A400M já deixaram a Alemanha para participar das operações em Cabul.

O plano do Ministério da Defesa, segundo o Ministro da Defesa Annegret Kramp-Karrenbauer na noite passada, é transferi-los primeiro para o Uzbequistão, onde será montada uma ponte aérea para continuar a operação.

O Ministério das Relações Exteriores pediu aos trabalhadores locais que não fossem ao aeroporto de Cabul, dada a "extrema insegurança" lá, até receberem notificação da equipe de logística no terminal militar de que estão prontos para serem evacuados.

A chanceler Angela Merkel já havia se reunido com vários de seus ministros no sábado para acelerar as operações, e também informou os líderes dos grupos parlamentares no Bundestag (Câmara Baixa) sobre a situação no Afeganistão por videoconferência no domingo.

A catástrofe da intervenção imperialista dos Estados Unidos leva ao governo, por fim, o mesmo fanatismo islâmico burguês, reacionário e misógino, que havia se proposto remover em 2001 com George W. Bush.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias