Sociedade

CRISE SANITÁRIA

Descaso capitalista: em 5 meses, 8 a cada 10 pacientes intubados com COVID morreram nas UTIs

Fruto do descaso capitalista e dos anos de precarização da saúde, a crise sanitária no Brasil se agrava a cada dia. Nova pesquisa mostra que em apenas cinco meses, 8 a cada 10 pacientes com COVID, que estavam intubados nas UTIs brasileiras, vieram a óbito.

segunda-feira 29 de março| Edição do dia

Imagem: Rovena Rosa/Agência Brasil

A partir de dados do Ministério da Saúde, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) revelaram que, apenas entre novembro de 2020 e março deste ano, oito a cada dez pacientes intubados com COVID morreram nas UTIs dos hospitais brasileiros.

Veja também: 300 mil mortes: expressão da miséria capitalista

O país tem uma das maiores taxas de mortalidade do mundo de pacientes internados: 83,5%. Recentemente uma pesquisa já havia analisado dados do ano inteiro de 2020 e o resultado não foi menos estarrecedor: 2 a cada 3 pacientes intubados com COVID faleceram em 2020 nas UTIs do país.

Ainda, um levantamento feito pelo O GLOBO mostrou que quatro a cada dez mortes por COVID-19 no Brasil acontecem sem que sequer o paciente chegue à UTI. Isso porque ou as UTIs estão superlotadas ou há falta de profissionais da saúde nos hospitais. Estes trabalhadores se vêem sobrecarregados em meio à pandemia, sem que o governo federal de Bolsonaro e Mourão, o Congresso ou os governos estaduais tomem providências para garantir mais contratação de trabalhadores da saúde e aumento dos leitos de UTI, medidas essenciais frente ao colapso dos sistemas de saúde.

Leia mais: A crise sanitária exige uma luta contra Bolsonaro e todo golpismo




Tópicos relacionados

Governadores   /    BolsonaroGenocida   /    Colapso da saúde   /    MORTES COVID-19   /    Crise do Coronavírus   /    Crise na Saúde   /    COVID-19   /    Pandemia   /    Coronavírus   /    Saúde Pública   /    Governo Bolsonaro   /    precarização   /    Sociedade   /    Saúde

Comentários

Comentar