Política

ELEIÇÕES 2020

Derrota envergonhada: Bolsonaro apaga tuíte de apoio a Russomano e Crivella

Grande derrotado das eleições, Jair Bolsonaro apaga suas manifestações de apoio a Celso Russomano e Marcelo Crivella, candidatos bolsonaristas à prefeitura de São Paulo e do Rio de Janeiro.

domingo 15 de novembro| Edição do dia

Bolsonaro tem sido o grande cabo eleitoral às avessas dessa eleição: todos os candidatos apoiados pelo presidente estão naufragando nas eleições. Em São Paulo, o já tradicional cavalo paraguaio Celso Russomano (Republicanos), que iniciou a campanha em segundo lugar, irá terminar, segundo a boca de urna, em quarto, empatado com Arthur do Val (Mamãe Falei – Patriotas) e Jilmar Tatto (PT).

No Rio de Janeiro, o atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) passa sufoco para conseguir ir ao segundo turno com Eduardo Paes.

Nesse sábado, 14, Bolsonaro fez uma postagem pedindo voto para 7 candidatos a prefeito e 5 a vereador, incluindo os dois postulantes às prefeituras de São Paulo e Rio de Janeiro. Agora, as publicações se encontram excluídas.

Além de Russomano e Crivella, todos os demais candidatos à prefeitura apoiados pelo presidente afundaram. Bolsonaro vem sofrendo uma derrota atrás da outra, e depois de ver seu herói Donald Trump amargar a derrota para Joe Biden nos EUA, e os golpistas perderem as eleições na Bolívia, agora vê seus candidatos afundarem e tenta ridiculamente fingir que essa derrota não está diretamente ligada ao naufrágio bolsonarista. Russomano, já no primeiro debate, tinha como ponto central de seu programa sua “amizade” com Bolsonaro, e Crivella, ligado à Igreja Universal e sobrinho de seu dono Edir Macedo, é também um ponto de apoio importante do presidente.

Agora, todos esses reacionários que surfaram a onda bolsonarista da última eleição podem se degladiar na derrota, com o presidente tentando esconder seu protagonismo no fracasso nacional da extrema direita.




Tópicos relacionados

Celso Russomano    /    Eleições 2020   /    bolsonarismo   /    Marcelo Crivella   /    Jair Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar