×

Ataque aos indígenas | Deplorável! Genocida Bolsonaro recebe de ministério da Justiça medalha do mérito indigenista

Bolsonaro (PL) recebeu do ministro da Justiça, Anderson Torres, medalha de mérito indigenista. Um racista e genocida confesso, junto de todo o seu clã, ele é inimigo declarado dos povos indígenas. É um absurdo e uma afronta essa patética "auto-condecoração". Só a luta indígena, unificada com a classe trabalhadora, juventude e setores oprimidos pode derrotar Bolsonaro, Mourão, STF e todo o regime golpista!

quarta-feira 16 de março | Edição do dia

Imagem: ISAC NÓBREGA/PR

Além de Bolsonaro, foram agraciados ministros como Braga Netto (Defesa), Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) e Tereza Cristina (Agricultura).

Em 2020, Bolsonaro, figura que nós já estamos cansados de ver toda a sua podridão, disse que "cada vez mais, o índio é um ser humano igual a nós", e agora se vangloria da não demarcação de terras indígenas em seu governo. "No meu governo, não foi demarcada terra indígena", disse comemorando o presidente em fevereiro.

Veja também: A luta pela Casa do Estudante Indígena precisa ser de todo o movimento estudantil da UFRGS

O presidente cortou verbas voltadas destinadas à proteção e promoção de povos ao sancionar o orçamento anual de 2022.

Veja mais: Lira defende debate do pacote da destruição ambiental e não jogará PL debaixo do tapete

Bolsonaro também é contrário à demarcação de novas terras indígenas e seu governo tem defendido a liberação do garimpo nas áreas já demarcadas. Além disso, os indígenas também sofrem com o licenciamento ambiental, uma política anti-ambiental e que favorece apenas os empresários e a burguesia do campo, como o agronegócio.

Na primeira quinzena de Abril, será votada na Câmara dos Deputados projeto de lei que libera mineração em terras indígenas, mais uma tentativa do governo Bolsonaro de atacar os direitos dos povos indígenas. A aprovação deste projeto impactará diretamente em mais de 200 reservas só na Amazônia, segundo os dados oficiais da ANM (Agência Nacional de Mineração).

Além disso, os indígenas tiveram que lutar no ano passado contra o asqueroso Marco Temporal e o PL490, ao qual deram um grande exemplo de luta ao reunir em Brasília no ano passado mais de 10 mil indígenas, de mais de 150 povos de diversos cantos do Brasil, que se acamparam em frente aos prédios das principais instituições políticas do país, mostrando toda a força indígena diante de um brutal ataque de Bolsonaro, Mourão, do STF e de todo o regime político.

Todos esses atores políticos do regime golpista estão unidos quando se trata de atacar os indígenas e todo os povos explorados e oprimidos, e fazem isso a serviço dos lucros dos capitalistas, como o agronegócio, os grileiros, as mineradoras, empresários das concessionárias de saneamento e companhias elétricas, assim como diversos outros setores do capitalismo, como a burguesia nacional de conjunto e o imperialismo.

Somente a luta indígena, como se expressou nos acampamentos em Brasília no ano passado, num grande exemplo de Frente Única, e aliada com a classe trabalhadora, juventude e setores oprimidos, é que pode dar uma saída que derrote de fato os brutais ataques de Bolsonaro, Mourão, STF e de todo o regime do golpe.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias