×

ESTADO DE SP | Denúncia: chove dentro de salas e falta água nas escolas, mas Doria impõe retorno inseguro

Por um lado o governo de Doria quer impor o retorno às aulas presenciais de forma insegura, por outro atuam com descaso e desrespeito contra toda a comunidade escolar que, em muitas escolas, não possuem nem água para todos lavarem as mãos. Isso quando não chove dentro das salas de aulas que o governo disse ter preparado durante 2020.

quinta-feira 4 de fevereiro | Edição do dia

Foto: Chove dentro de escolas que o governo diz ter preparado para impor um retorno presencial inseguro.

João Doria e Bruno Covas (ambos PSDB), junto com seus secretários de educação, Rossieli Soares e Fernando Padula, querem impor a reabertura das escolas durante o recrudescimento da pandemia. E para isso mentem descaradamente sobre as condições das escolas. Mas nós trabalhadores da educação sabemos que a maioria das escolas não possuem estruturas adequadas, nem trabalhadores suficientes para um retorno agora com segurança sanitária.

Veja aqui: Contra o retorno irracional às aulas: organizar a comunidade escolar por condições seguras, direito à vida e vacina!

Estamos recebendo uma série de denuncias sobre as parcas condições das escolas, sobre a falta de materiais e insumos para proteção, além de pessoal para manter as escolas higienizadas. Iremos publicar essas denúncias nos próximos dias, pois a própria mídia burguesa esta ao lado do governo e atua também para essa reabertura. Todas as denuncias serão divulgadas garantindo o total ANONIMATO e preservando qualquer informação sensível que pudesse revelar a identidade do denunciante, afinal de contas sabemos do que são capazes esses governos covardes.

Sabemos que a estrutura das escolas já antes da pandemia era bastante precária. Os governos tiveram praticamente um ano para mudar essa realidade, porém o que vemos agora são os mesmo problemas de antes. A falta de água nas escolas é lamentavelmente algo recorrente. Algo que em tempos sem pandemia já era inaceitável agora é ainda mais absurdo, pois nem as mãos se pode lavar dentro da escola. Porém segue acontecendo como vemos aqui nesta escola estadual da Zona Sul da cidade de São Paulo (DE Sul 2):

Além da falta de água, os professores foram convocados a trabalhar presencialmente na escola para assistirem à transmissão do Centro de Mídias do Estado, algo sem a menor justificativa, pois podem fazê-lo remotamente.

O que falta de água encanada em algumas escolas sobra em outras, porém de água da chuva. As imagens abaixo nos foram enviadas por trabalhadores de uma escola da zona norte da cidade de São Paulo (DE Norte 2).



Infelizmente essas cenas não são raras nas escolas estaduais paulistas. Por isso é revoltante o cinismo de Doria e seu secretário de Educação que diz que as escolas foram preparadas para o retorno seguro das aulas. Não apenas fingem não enxergar o quadro da pandemia no estado e no país, que atinge sobretudo nossos alunos e suas famílias nas periferias das cidades, como fingem ignorar a realidade das escolas em seus protocolos impraticáveis.

Doria, Covas, Bolsonaro e todo o regime golpista são os responsáveis pelo descontrole da pandemia no país. E são os responsáveis pelas escolas não serem ambientes seguros para o retorno das aulas presenciais nesse momento. Não são eles que devem decidir sobre nossas vidas e de nossos alunos e familiares. A comunidade escolar, junto com os trabalhadores da saúde, é quem deve decidir quando e como será a reabertura das escolas.

O Esquerda Diário é uma mídia independente feita por e para trabalhadores e estudantes, por isso queremos dar voz aos milhares de professores, estudantes, familiares e trabalhadores da educação que sabem que precisamos desmascarar as cruéis mentiras de Doria e Covas sobre a realidade das nossas escolas.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias