×

Sem direito ao futuro | DENÚNCIA: Telemarketing Atento impede que trabalhadores façam o ENEM

Em um ano marcado pela baixa histórica de participantes no ENEM, com os menores números de inscritos desde 2005, e a intervenção de bolsonaro na prova, a empresa de call center Atento impede que seus funcionários realizem o Exame Nacional do Ensino Médio.

sábado 20 de novembro | Edição do dia

Como se não bastasse o filtro social que o ENEM representa, deixando milhares de jovens pelo país fora das universidades, nem o mínimo direito de realizar o exame é garantido.

Não é novidade as barbáries que a empresa Atento submete seus funcionários, chegando a obrigar os atendentes a realizarem atendimentos sem sistema, além de estarem demitindo dezenas de trabalhadores sistematicamente, como denunciamos aqui em busca de lucrar casa vez mais com a sobrecarga dos trabalhadores.

VEJA TAMBÉM: “Telemarketing é uma máquina de moer gente” denunciam trabalhadores da Atento

Essa decisão afeta principalmente jovens negres, mulheres e LGBTQIA+ que são maioria no telemarketing, onde trabalham longas jornadas com baixos salários. Também é parte do projeto político de Bolsonaro, Mourão e toda direita que destinam a juventude, em especial a juventude negra, os piores postos de trabalho, com salários muitas vezes menores que o mínimo, que já é extremamente distante do que recomenda o DIEESE (http://esquerdadiario.com.br/Salario-minimo-ideal-do-Dieese-e-quase-5-vezes-maior-que-o-valor-atual), sem acesso e permanência estudantil e sem nenhuma perspectiva de futuro. É mais que urgente a aliança dos estudantes e trabalhadores para dar fim à esse filtro social racista, contra os ataques à educação de Bolsonaro, Mourão e toda direita. Pelo direito de todes estudarem, em defesa do futuro da juventude!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias