Economia

MERCADO DE TRABALHO

Criação de vagas formais diminui em março: 184,1 mil vagas são abertas

Dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia e se referem apenas a empregos com carteira assinada. Número é menor do que em fevereiro e março. Modalidades de trabalho precarizadas também cresceram e o salário médio caiu em relação a 2020.

quarta-feira 28 de abril| Edição do dia

(Foto: Agência Brasil)

Foi um saldo de 184,1 mil vagas de emprego formais geradas no país em março. O setor que mais abriu vagas foi o de serviços, que abriu 95,5 mil novas vagas. Em janeiro foram criados um total de cerca de 258 mil vagas, e 395 mil em fevereiro.

No entanto, essas vagas incluem modalidades de trabalho precarizadas criadas pela Reforma Trabalhista. Em março, foram abertas 5,5 mil vagas com jornada intermitente e 2,8 mil vagas de tempo parcial.

Leia mais: Bolsonaro assina MP que reduz salários e suspende contrato de trabalho novamente

Além disso, o salário médio de admissão foi de R$ 1802,65, o que representa um recuo em relação a março de 2020, quando este número foi de R$ 1821,91, em valores reais.




Tópicos relacionados

Fora Bolsonaro, Mourão e os golpistas   /    Empregos   /    Ataques a Salários   /    Bolsonaro   /    Governo Bolsonaro   /    precarização   /    Trabalho Precário   /    Desemprego   /    Economia

Comentários

Comentar