Covid-19: recorde mundial de casos pelo terceiro dia consecutivo

Europa está em um segundo momento crítico da pandemia. 465.319 novos casos foram confirmados mundialmente no sábado, sendo 221.898 na Europa.

segunda-feira 26 de outubro| Edição do dia

Imagem: CDC

A OMS (Organização Mundial da Saúde) anunciou no domingo (25) mais um novo recorde mundial de casos de covid-19 pelo terceiro dia consecutivo. Segundo a instituição 465.319 casos foram confirmados no sábado, contra os 449.720 de sexta e 437.247 de quinta-feira.

A Europa foi a região mais afetada, com quase metade dos novos casos registrados: um recorde de 221.898 apenas no sábado.

Após a primeira onda que assolou a Europa, os governos declararam controle da pandemia e voltaram as atividades diárias praticamente ao normal. Agora, muitos países europeus estão registrando aumento exponencial de casos e adotando medidas de emergência, com hospitais e unidades de saúde no limite da capacidade de atendimento.

Saiba mais: Segunda onda na Europa tem 1 milhão de casos na França e Espanha e lockdown na Irlanda

Vale lembrar que a OMS, apesar de ser o órgão que consegue fornecer os dados e informações mais atualizados sobre a pandemia, não é simplesmente “neutra” no que diz respeito às respostas ao combate a covid-19. Isso porque suas orientações muitas vezes contrastam com a realidade de diversos países, e servem muito mais a estabilizar os governos do que chegar à raiz das questões sociais e da crise capitalista que envolvem a doença.

Já são 42,6 milhões de casos confirmados no mundo e cerca de 1,15 milhão de mortos, incluindo 6.570 apenas no sábado.

O Brasil alcançou 157.134 mortes e 5.394.128 casos confirmados de covid-19 neste domingo (25). Na últimas 24 horas foram notificados 231 óbitos e 13.493 novos casos. Os dados são do Ministério da Saúde, e sabemos por diversas pesquisas independentes que os números infelizmente podem ser ainda maiores, visto a falta de testagem massiva e as omissões de diagnóstico.

Pode te interessar: Panorama geral da pandemia no Brasil mostra situação extremamente calamitosa




Comentários

Comentar