×

Fome | Corrida por carne com desconto em supermercado é retrato do Brasil de Bolsonaro e dos capitalistas

Com o alto preço dos alimentos e a dificuldade de manter a comida na mesa a classe trabalhadora precisa se aglomerar em uma disputa por uma peça de carne à um preço minimamente justo. As cenas aconteceram em Fortaleza, nos bairros de Montese e Parangaba.

quinta-feira 13 de janeiro | Edição do dia

A rede de supermercados Extra, que está fechando suas portas na região, anunciou nesta quarta feira, dia 12 , um preço mais baixo na venda de carne o que obviamente fez com que diversas pessoas fossem até o local disputar por uma peça do alimento.

Num cenário de crise econômica, política e social, agora também aprofundado por uma nova onda de covid-19 resultante da variante Omicron, os trabalhadores são mais uma vez a classe prejudicada. Os casos de filas do osso e do lixo em supermercados não foram esquecidos e são também fundamentais pra entendermos de conjunto essas cenas entristecedoras.

No Brasil, existem cerca de 20 milhões pessoas passando fome e outras milhares na chamada "insegurança alimentar", a taxa de empregados beira os 13,7 milhões e mais de 37,8 milhões estão em trabalhos precários e/ou informais.

Nessa conjuntura não é difícil imaginar o desespero dos trabalhadores para conseguir levar um pedaço de carne pra casa e mesmo frente à nova onda de covid19 e até ao risco da dupla contaminação com a influenza H3N2, os trabalhadores são forçados a quase se digladiarem nessas situações.

As aglomerações se seguiram durante toda a pandemia principalmente nos transportes públicos uma vez que não foi dado o direito ao isolamento provando que nesse sistema o lucro sobrepõe às nossas vidas.

Não podemos normalizar situações como essas e precisamos de um plano de ação que conte com a união entre estudantes e trabalhadores para se chocar com os lucros do agronegócio com a produção, controle e abastecimento proveniente da agricultura familiar para que haja um verdadeiro combate à fome e o acesso aos alimentos a preço justo. O país governado por Bolsonaro e a extrema direita e que protagoniza imagens revoltantes como essas é o mesmo que cogita inclusive mudar a data de validade dos alimentos para uma "data sugestiva" para o consumo e também é o mesmo sistema que em 2021 ganhou mais de 40 novos milionários provando mais uma vez que a crise não é pra todos estando a mesma lançada nas costas da população mais pobre.


Temas

Fome    Sociedade



Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias