×
Rede Internacional

CORREIOS | Correios bate recorde de 2,2 milhões na Black Friday, com sobrecarga e precarização do trabalho

Enquanto prevê lucro de mais de 1 bilhão em meio à privatização, arrancando direitos dos trabalhadores, Correios divulga recorde histórico de 2,2 milhões de encomendas postadas em um único dia, em publicação sobre a Black Friday, sobrecarregando e precarizando ainda mais o trabalho de seus funcionários.

quarta-feira 2 de dezembro de 2020 | Edição do dia

Nesta quarta, 02, a empresa dos Correios divulgou uma publicação da Black Friday comemorando as 2,2 milhões de encomendas postadas em único dia, escancarando seu cinismo, já que o que permite que esse recorde aconteça são as condições que os trabalhadores tanto desmascararam e demonstraram sua força na última greve contra todo um plano de ataques de Bolsonaro, militares, Rodrigo Maia (DEM), STF e TST, com centenas de mortes da categoria pela exposição à covid-19 e arrancada de direitos essenciais, como período de amamentação, itens de proteção de doenças e no caso de baixa umidade do ar, transporte noturno.

É tendo como base a jornada extenuante de seus trabalhadores que os Correios alcança esse recorde histórico, enquanto o presidente militar Floriano Peixoto ganha mais de R$40mil por mês e a empresa prevê lucro de mais de 1 bilhão de reais. É com a precarização do trabalho e o avanço da privatização de uma das maiores estatais brasileiras para servir aos interesses privatistas internacionais, atacando também à população que utiliza esse importante serviço público.

Veja também: Correios tem previsão de lucro bilionário para 2020: a quem interessa a privatização da empresa?

Fábio Farias, do Ministério de Comunicações de Bolsonaro e oligarca do Rio Grande do Norte, já apontou que privatizar os Correios “está na ordem do dia” e que existem 5 empresas interessadas em abocanhar a estatal a preço de banana, uma delas a gigante norte-americana Amazon, a DHL, FedEx e a Magazine Luiza, todas com denúncias de super exploração e condições de trabalho ultra precárias.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias