Educação

GREVE NA EDUCAÇÃO

Continua a greve dos trabalhadores de educação em Campina Grande, Paraíba

Com reinvidicações não atendidas pelo prefeito Bruno Cunha Lima (PSD), profissionais da educação do município de Campina Grande decidem em assembleia virtual manter greve.

quinta-feira 11 de fevereiro| Edição do dia

Imagem: Paraibaja

Com o descaso do governo municipal em não atender as reinvindicações dos trabalhadores de educação, a categoria decide manter a greve por tempo indeterminado. Em busca de condições mínimas de trabalho, vacinação e defesa da vida esses profissionais estão sendo ignorados por Bruno Cunha Lima (PSD) prefeito da cidade.

Em assembleia de base virtual realizada na terça (09 de fevereiro) ecidiram pela continuidade à greve geral iniciada dia 1º de Fevereiro de 2021 na qual os profissionais de educação do Município de Campina Grande ( Paraíba) deflagraram greve. Exigências como vacinação, qualidade mínima de condições de trabalho não foram atendidas e os profissionais decidiram em assembleia virtual realizada na terça (09 de fevereiro) darem continuidade a greve geral.


Veja mais: Greve dos profissionais de educação em Campina Grande, Paraíba

O descaso do Município é tamanho que sem dar resposta às demandas dos profissionais de educação, esses colocaram que só retomam as aulas presenciais quando existir uma vacinação em massa da população,além de terem atendidas as condições mínimas de trabalho.

Diante desse descaso, os profissionais de educação pontuaram as seguintes deliberações na assembleia virtual que contou com a participação de mais de 500 profissionais:

  • Pedido de Tribuna Livre na Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG) e de audiência pública na Casa, para expor os motivos da greve;
  • Outdoors nos principais pontos da cidade;
  • Carros de som percorrendo todos os bairros;
  • Nota paga em todos os canais de televisão locais além de ampla divulgação em toda imprensa;
  • Divulgação massiva em todos os canais de comunicação do Sintab;
  • Renovação constante dos ofícios enviados à Prefeitura e à Secretaria de Educação solicitando resposta para todas as demandas dos servidores;
  • Cartazes informando sobre a greve em todas as unidades educacionais do município

Desde o Esquerda Diário (Diário integrante de uma rede de jornais internacionais, pertencente à fração trotskista quarta Internacional) apoiamos a reinvidicação protelada por esses profissionais e nos solidarizamos com as demandas apresentadas.

Repudiamos a forma como a pandemia vem sendo administrada por prefeitos, governadores e principalmente pelo governo Federal, que tem deixado um saldo de 233.520 óbitos em sua maioria, a população negra. Desde o início dessa pandemia a classe trabalhadora não teve condições mínimas de segurança, no caso dos professores em específico, a realização de aulas online sem a devida condição material (tanto de professores, quanto de alunos), além da própria qualidade e dinâmica de ensino, causa adoecimento e sobrecarga de trabalho.

Defendemos um amplo programa de imunização com anulação das patentes e uma gestão dos insumos produtivos e malha industrial totalmente voltada ao combate da pandemia. Entendemos que é inaceitável que a crise sanitária seja descarregada nas costas da classe trabalhadora,uma crise que tem como fundamento a própria lógica irracional do capitalismo que a cada dia se aprofunda numa crise orgânica.

Veja mais: Guerra pelas vacinas": frente à irracionalidade capitalista, anulação das patentes e vacinas para todo mundo

Diante disso, somos solidários à luta dos profissionais de Educação do município de Campina Grande, reafirmamos nosso apoio ao movimento grevista.




Tópicos relacionados

Campina Grande   /    Campina Grande   /    Greve   /    Educação

Comentários

Comentar