Sociedade

SAÚDE PÚBLICA

Consumo de cilindros de oxigênio no Macapá chega a 200%, o aumento de pacientes com covid segue em curso

Sete cidades do país se encontram em situação de calamidade na saúde pública e com necessidade urgentes de cilindros de oxigênio, uma dessas cidades é Macapá, que necessita urgentemente de novos estoques de cilindros.

terça-feira 23 de março| Edição do dia

Foto: AFP/Arquivos

O atual ministro da saúde, Marcelo Queiroga alerta sobre a situação do Macapá sobre a recomposição dos cilindros de oxigênio, ao mesmo tempo que o ministro da saúde alerta sobre o caso também não busca medidas para garantir os hospitais abastecidos de oxigênio.

A tecnologia e produção industrial existente no país e no mundo poderia facilmente garantir cilindros de oxigênios para todos que necessitassem, porém, o capitalismo segue sendo um sistema que preza os lucros e os interesses dos grandes empresários, e é incapaz de garantir oxigênio na quantidade necessária para garantir a vida dos necessitam.

Um cilindro de oxigênio oferece 4 horas de oxigênio para os pacientes contaminados com covid que tem dificuldades para respirar, para um pacientes respirar em 24 horas são necessários seis cilindros de oxigênio. Mas a negligência do governo negacionista de Bolsonaro pode resultar em um dado momento da pandemia deixar de garantir cilindro de oxigênio, porque o centro da política do Bolsonaro não é garantir a vida plena e de qualidade dos trabalhadores que necessitam.

O centro da política de Bolsonaro, é avançar com os ataques a classe trabalhadora, independente se estamos em um cenário de calamidade na saúde pública, além dos ataques, Bolsonaro busca disputar espaços na política, com disputa entre o judiciário, o congresso e os grandes empresários.

A quantidade de indústria existentes no país poderiam facilmente garantir a produção de insumos de combate ao covid e certamente cilindros de oxigênio. Em pleno século XXI com tantos avanços na tecnologia e produção, o capitalismo é incapaz de garantir oxigênio, levando a inúmeros óbitos de trabalhadores e jovens com falta de ar.




Tópicos relacionados

Crise na Saúde   /    Ministério da Saúde   /    Sociedade

Comentários

Comentar