Gênero e sexualidade

PÃO E ROSAS

Conheça o novo Diário digital que dá voz a trabalhadoras precarizadas de todo o país

Uma iniciativa do Esquerda Diário e do grupo de mulheres Pão e Rosas.

segunda-feira 10 de maio| Edição do dia

Foto: Macaco do Sul

O "Diário de Uma Precarizada" é uma iniciativa do Esquerda Diário e do grupo de mulheres Pão e Rosas, reproduzindo uma série de páginas de diários de mulheres precarizadas dos nossos tempos, com relatos de suas reflexões, suas histórias e cotidianos vivendo a combinação da opressão e exploração. 

É fundamental olhar a realidade do mundo pelos olhos das mulheres, como disse Trotsky, e que hoje, são metade da classe trabalhadora, e no Brasil majoritariamente negras, que vivem em duras condições de vida, trabalhadoras precarizadas, terceirizadas, muitas delas moradoras de favelas e periferias. 

O impacto da pandemia aprofundou ainda mais as duras condições e a precarização da vida das mulheres. Como declarou Andrea D’atri com a crise, escancarou-se que cada direito obtido não é uma conquista perene, mas que está sujeita a cortes e ajustes que os governos e instituições financeiras internacionais impõem. 

Nesse sentido, se torna cada dia mais urgente nos fortalecermos na força imparável das mulheres que são linha de frente nas lutas ao redor do mundo, não só para denunciar a miséria capitalista mas para colocar esse sistema abaixo junto ao patriarcado, racismo, lgbtfobia, xenofobia e toda forma de opressão.

Esse diário busca dar voz a essas mulheres e contribuir para despertar, através de uma perspectiva revolucionária, para que a força cotidiana dessas mulheres se transforme em organização e luta, e estejam na linha de frente nos combates contra a opressão e exploração capitalista, sendo protagonistas da transformação do mundo com a nossa classe.

Se as mulheres são as que mais sofrem com o velho, serão as mais entusiastas com o novo, e assim como historicamente sempre estiveram na linha de frente dos processos de luta contra a opressão e exploração, é com esse espírito que abrimos as páginas de tantos diários e reverberamos que a força das mulheres é imparável.

Assim como no "Diário de Uma Precarizada #1: "A vida é pra ser tudo que ela pode de mais belo. E será." e no Diário de uma Precarizada #2: "Tenho 50 anos e maioria deles tive como profissão o trabalho doméstico.", uma jovem terceirizada e uma trabalhadora diarista do Rio de Janeiro, relatam seus cotidianos, suas lembranças e como se fortalecem em acreditar que podemos nos organizar com nossas próprias forças pra lutar junto com tantos trabalhadores e trabalhadoras, você também pode fazer parte desse Diário, enviando seu relato. O ED é uma mídia de esquerda que faz parte de uma rede de diários internacional que quer dar voz aos trabalhadores e aos setores oprimidos.




Tópicos relacionados

Diário de uma Precarizada   /    Trabalhadoras   /    precarização   /    Gênero e sexualidade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar